Miguel Viegas, Fátima Guimarães e Rosa Alves, todos candidatos da CDU às próximas eleições legislativas participaram numa jornada em Oliveira de Azeméis. Depois de contactar com trabalhadores de diversas empresas, a delegação da CDU terminou o dia com uma sessão pública sobre mobilidade. A CDU propõe para o distrito um Plano Regional de Mobilidade assente na valorização do transporte público e a criação de um passe social intermodal que incentive as populações e prescindir cada vez mais do automóvel. Concelhos de alta densidade populacional, como é o caso de Oliveira de Azeméis, deveriam fazer muito mais por esta causa que é um imperativo social e ambiental.

Miguel Viegas, candidato da CDU às próximas eleições legislativas reuniu com a Associação Juvenil "Os Amigos do Cáster". Esta reunião serviu para conhecer melhor as preocupações desta organização ambientalista vareira e dar a conhecer as principais medidas que a CDU apresenta para fazer face à urgência climática. De acordo com Miguel Viegas, as alterações climáticas não se combatem com meras declarações simbólicas que soam a falso sobretudo vindas de quem tem fortes responsabilidades no aprofundamento do actual modelo de desenvolvimento assente nas autoestradas e no uso dominante do automóvel. As alterações climáticas combatem-se com um novo modelo de mobilidade assente na valorização do transporte público e em particular do transporte ferroviário. A conclusão do plano de regadio do Baixo Vouga Lagunar, defendida há muito pela CDU insere-se igualmente na defesa de um sistema produtivo assente na agricultura local e nos circuitos curtos de produção e comercialização.

Miguel Viegas e Ana Valente, candidatos da CDU às próximas eleições legislativas estiveram reunidos com a direcção da União dos Sindicatos de Aveiro. De acordo com os dados oficiais, a taxa de desemprego jovem do distrito de Aveiro está nos 36%, e, ao contrário do que afirma o governo, a precariedade é a regra que afecta a esmagadora maioria dos trabalhadores jovens. A CDU não se conforme com este modelo assente nos baixos salários e na precariedade, como se fosse este o elemento determinante para dar competitividade às empresas. A valorização dos salários com a elevação do salário mínimo para 850 euros e a criação de um plano de combate nacional contra os vínculos precários são premissas fundamentais para romper com este modelo.

Graças à acção da CDU foi possível reduzir o valor dos passes sociais através do PART, Programa de Apoio à Redução Tarifária. No entanto, esta redução não foi aplicada ainda aos utentes da CP que circulam dentro da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA). Perante este escândalo, Miguel Viegas, Ana Valente e Cláudia Pereira, candidatos da CDU às próximas eleições legislativas, estiveram hoje numa acção de denúncia desta situação através da qual foi distribuído um documento aos utentes que se deslocam de Ovar para Aveiro. A CDU considera esta situação inaceitável e exige que a CIRA tome medidas imediatas para que a população de Aveiro possa beneficiar desta redução, que é um imperativo social e ambiental.

A CDU promoveu um debate sobre a importância da pesca na região de Aveiro, no auditório da Junta de Freguesia da Gafanha da Nazaré. Participaram neste debate, para alem dos candidatos Miguel Viegas e Ana Valente, diversos representantes da pesca e da Universidade de Aveiro. Num debate intenso e muito participado, a CDU reafirmou o seu compromisso de sustentar e potenciar o sector da pesca, não apenas como um adorno turístico ou etnográfico mas antes como um alavanca de desenvolvimento da região. Para isso, são necessárias políticas de desenvolvimento assentes no investimento público em infraestruturas de apoio à pesca e em medidas específicas de discriminação positiva da pesca artesanal, por forma a garantir uma repartição mais justa da cadeia de valor.

Ao longo dos últimos anos o Hospital Visconde de Salreu (HVS), Estarreja, tem vindo a sofrer com a perda de valências fazendo-se prever um futuro negro, o seu encerramento, como temos vindo alertar ao longo dos anos.

É curiosos como se tem habituado as populações às perdas de valências com o embuste de que se está a especializar o hospital naquilo que lhe poderá garantir o futuro . Assim, os sucessivos governos do PS, do PSD e CDS com o apoio do executivo camarário e reforço dos dirigentes políticos locais desses mesmos partidos, retiraram o serviço de urgência deste Hospital, garantindo a consulta aberta e a construção de um novo hospital, algo que ainda não foi visto.

O bloco operatório iria limitar-se à cirurgia de ambulatório, tornando-se nas melhores do país. Contudo, com o apoio do executivo camarário, foi demolido com a "garantia" da construção de um novo Bloco após as obras de criação da unidade de cuidados paliativos.

Para o topo