A candidatura da CDU, que contou com a presença do primeiro candidato, Miguel Viegas, esteve de visita ao concelho de Castelo de Paiva, onde, para alem dos contacto com populares, visitou uma empresa destruída pelos incêndios de 2017. Quase dois anos depois do mega incêndio que devastou grande parte da área deste concelho, é de lamentar que pouco ou nada tenho sido feito para recuperar a floresta e as infraestruturas.

Ao nível da floresta, grande parte da lenha queimada ainda não foi removida. Pior, o que sobressai é o renascimento de milhares de eucaliptos, de forma desordenada, criando um enorme matagal a servir de pasto a um próximo incêndio que fatalmente irá acontecer, se não forem tomadas medidas. Ao nível da atividade produtiva, o candidato comunista visitou uma empresa que poderia estar hoje a trabalhar em pleno com dezenas de postos de trabalho. Lamentavelmente, os incentivos apregoados pelo governo ainda não chegaram ao terreno e as obras de reconstrução ainda não começaram. Que dizer também de uma casa de habitação destruída pelos incêndios que permanece em escombros, com os habitantes a viverem numa escola sem que haja soluções à vista?

Nas palavras de Miguel Viegas, "não é aceitável que, passado dois anos sobre a tragédia, tanta coisa esteja por fazer. Vimos hoje situações concretas que falam por si. Pela nossa parte, iremos denunciar esta situação e pressionar para que o governo e a autarquia assumam as suas responsabilidades!".


Aveiro, 23 de Agosto de 2019

Para o topo