A CDU organizou em Ovar, na Marina do Carregal, um debate sobre a Ria de Aveiro. Para além de Miguel Viegas, candidato da CDU para as próximas eleições legislativas, participaram vários investigadores da Universidade de Aveiro, dirigentes de clubes e associações ligados à Ria e ex autarcas com destaque para Manuel Oliveira e Manuel Malícia, que lideraram a Câmara Municipal de Ovar durante vários mandatos. A Ria de Aveiro estrutura o território e tem um enorme peso na identidade histórica e cultural da região. As suas múltiplas funções, ambiental, económica e lúdica exigem um Plano de Ordenamento que permita conciliar as diversas atividades e potenciar este complexo ecossistema altamente dinâmico. A criação de um Observatório da Ria de Aveiro que agregue o vasto património científico existente na Universidade de Aveiro poderá representar um enorme passo na identificação das medidas que é necessário implementar (algumas já em curso) e promover a sua monitorização.

Miguel Viegas
Miguel Viegas: "A Ria de Aveiro tem inúmeras potencialidades por explorar. Saíram daqui ideias boas como a criação de um "lagunário" ou de uma estrutura museológica dedicada à vela. É necessário enquadrar estas ideias num projeto de desenvolvimento regional ao serviço das populações!"

A Ria de Aveiro, que em bom rigor, forma uma laguna, constitui um complexo ecossistema altamente dinâmico onde a intervenção do homem é incontornável. Apresenta várias vulnerabilidades que ficaram bem expostas ao longo do debate. A poluição, o assoreamento e a crescente influência das marés, têm sido objeto de extensos estudos por parte da academia e representam desafios decisivos para o poder político. O aproveitamento pleno das enormes potencialidades da Ria de Aveiro implicam a compatibilização dos seus diversos usos e funções. Neste sentido, emergem duas questões que estiveram presentes ao longo de todo o debate. Por um lado, é necessário elaborar um plano de ordenamento da Ria de Aveiro que evite os conflitos e permita um pleno aproveitamento das potencialidades deste ecossistema. Por outro é necessária a criação de um modelo de gestão que seja ao mesmo tempo eficaz e inclusivo. A proposta de criação de um observatório da Ria de Aveiro decorre da necessidade de juntar o muito conhecimento existente, seja na academia, seja nas instituições e associações ligadas à pesca, agricultura ou ao lazer. As medidas em curso, como é o caso das dragagens, irão ter um impacto que é impossível de prever com rigor e que justificam a criação deste observatório.

Aveiro, 12 de Setembro 2019
Comissão Coordenadora de Aveiro da CDU

Para o topo