TRABALHO HONESTIDADE COMPETÊNCIA

CDU -No concelho e no País
Força necessária
 

No passado dia 22 de julho, sábado, pelas 17h00, realizou-se, no edifício da Tuna Musical de S. Paio de Oleiros, a apresentação pública da lista candidata da CDU à Assembleia de Freguesia de S. Paio de Oleiros, cujo lema, “Desafio à Mudança”, representa bem um compromisso de grande empenhamento para a resolução dos grandes problemas dos Oleirenses. Nesta apresentação, participaram Antero Resende e Filipe Moreira, respetivamente, cabeças de lista à Câmara e Assembleia Municipal de Santa Maria da Feira.

A Coligação Democrática Unitária. a propósito do reconhecimento de interesse público municipal na regularização de exploração salícola vem esclarecer a sua oposição a este reconhecimento, tomado na Assembleia Municipal de Aveiro de 28 Julho do corrente.

A CDU sobre este procedimento destaca que mais uma vez um elemento de planeamento de organização e espaço público, ao caso do Programa Polis, foi negativamente alterado num processo em que o planeamento do desenvolvimento do Concelho é alterado de forma casuística e ao arrepio de estudos e normas previamente estabelecidos, por forma a absorver um projecto de natureza económica. Num processo em que também se sublinha a excepcional rapidez do mesmo que, ao contrário de outros, teve o respectivo requerimento entrado nos serviços a 14 do corrente, foi aprovado em reunião de Câmara a 17 e ainda aprovado em Assembleia Municipal a 28.

Uma delegação da Candidatura da CDU Arouca, que integrava a mandatária concelhia, Deolinda Brandão, o cabeça de lista à Câmara Municipal de Arouca, Francisco Gonçalves e, ainda, Carlos Alves e Carlos Pinho, visitou, no início desta semana, as instalações e reuniu com o presidente do Centro Arqueológico de Arouca.

Esta iniciativa da candidatura concelhia da CDU visou conhecer os problemas desta associação arouquense, que leva já 33 anos de existência, e chamar a atenção para a importância do património arqueológico arouquense, que no âmbito do património histórico / cultural da nossa terra é, talvez, a vertente mais esquecida.


Para o topo