Várias dezenas de pessoas no foyer do Centro Cultural de Ílhavo assistem à sessão de inauguraçãoNa passada sexta-feira, várias dezenas de camaradas e amigos estiveram presentes no Centro Cultural de Ílhavo para a abertura da Exposição "Álvaro Cunhal - Vida Pensamento e Luta - Um exemplo que se projeta na atualidade e no futuro».

A Exposição presente até ao dia 25 de Janeiro no Centro Cultural de Ílhavo contém igualmente um pequeno acervo de imagens referentes à primeira visita de Álvaro Cunhal aquele concelho, aquando da inaugura ção do Centro de Trabalho local do PCP.

Na noite da passada sexta-feira, dia 3 de Janeiro, no Centro de Interpretação Local de Castelo de Paiva, teve lugar a Sessão de Abertura da Exposição alusiva ao centenário do nascimento de Álvaro Cunhal, um dos mais consequentes lutadores pelos valores da emancipação social e humana.

Manuel Rodrigues em nome da Comissão Concelhia de Castelo de Paiva do PCP começou por agradecer a cedência das referidas instalações e a presença de algumas dezenas de Paivenses, entre os quais membros do Executivo Municipal, sublinhando a importância e o significado deste evento, evocativo de uma personalidade ímpar, profundamente ligada à luta dos trabalhadores e do povo português e que tivera o privilégio de conhecer e contactar em vários momentos, em especial aquando da sua vinda às Minas do Pejão em Junho de 1985.

Aspecto do debateIntegrado no rico e diversificado programa de comemorações do centenário do nascimento de Álvaro Cunhal, que está a decorrer em todo o país, realizou-se, na passada sexta-feira, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de Stª Mª da Feira, um Debate sob o tema " Democracia para o Ensino – Ensino para a Democracia ".

A sessão foi enquadrada e moderada por Filipe Moreira, estudante universitário e eleito da CDU na Assembleia Municipal de Stª Mª da Feira, seguindo-se duas intervenções iniciais, primeiro de Manuela Silva, professora e dirigente sindical, que fez uma caracterização sintética da evolução do Ensino em Portugal ao longo do século XX, em especial no período tenebroso do fascismo, e depois de Francisco Gonçalves, professor e dirigente sindical, que abordou, não só os avanços notáveis que se operaram nesta área com a Revolução de Abril, como o retrocesso registado nos últimos anos, por acção de sucessivos governos e das suas políticas privatizadoras e de destruição da Escola Pública.

Francisco Melo e Jorge Cortez na mesaNa passada sexta feira, dia 22, na biblioteca municipal de S. João da Madeira, a organização local do PCP promoveu uma sessão de apresentação do IV Tomo das Obras Escolhidas de Álvaro Cunhal.

Francisco Melo do Comité Central do PCP e da editorial Avante, fez a a apresentação da obra e respondeu às variadas questões colocadas pelos presentes.

O debate da obra apresentada, que compreende o período entre 1967 e 1974, permitiu concluir-se da sua  enorme utilidade na compreensão da situação política atual. Foi também uma interessante homenagem a Álvaro Cunhal.

3COD - Exposição


Para o topo