O Centro Hospitalar do Baixo Vouga, que inclui os hospitais de Aveiro, Águeda e Salreu (Estarreja) não tem e pelos vistos também não está minimamente interessado em contratar o pessoal necessário ao bom funcionamento dos seus diversos serviços. São já muitas as denúncias do PCP sobre o recurso extremo a horas extras (a maior parte nem sequer são pagas) por parte de médicos e enfermeiros ou ainda sobre o funcionamento de diversos serviços sem os quadros necessários ao seu funcionamento.

Ainda recentemente a Administração do Centro Hospitalar optou, à revelia de todas as normas de bom senso e de respeito pela classe médica, por abrir um concurso para contratação de médicos através de uma empresa prestadora de serviços. Pretende-se contratar médicos em regime de precariedade para desempenhar funções permanentes na urgência de Medicina Interna e Medicina Intensiva. Esta situação mereceu desde logo o mais vivo repúdio do PCP.

O último episódio prende-se com o serviço de segurança. Com efeito, a Administração do CHBV pretende terminar o contracto com a empresa de segurança privada que actualmente presta serviço nos hospitais pondo em causa a segurança dos utentes, dos trabalhadores, dos meios técnicos e dos equipamentos que ficarão à mercê de conduta desordeira, actos de vandalismo ou mesmo criminalidade organizada. Reconhecendo o papel inestimável dos funcionários da segurança no bom funcionamento do CHBV, agora ameaçados de desemprego, foi já entregue uma petição assinada por 380 pessoas (principalmente médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar) solicitando ao Conselho de Administração do CHBV a manutenção de um serviço de segurança com profissionais especializados.

Aveiro, 19 de Agosto de 2013

Organismo da Saúde da Dorav do PCP

 


Para o topo