Situação da Saúde no distrito de Aveiro

Hospital de Ovar não pode ser privatizadoUma delegação da Comissão Concelhia de Ovar do PCP reuniu, no passado dia 21 de Março, com uma comissão representante dos trabalhadores do hospital, a pedido destes. Esta reunião surge na sequência de uma comunicação da parte da Administração Regional da Saúde do Centro informando os trabalhadores do Hospital Dr. Francisco Zagalo - Ovar da devolução deste à Misericórdia.

Na sequência da deslocação ao distrito do deputado do PCP, Jorge Machado, e das visitas realizadas aos Hospitais de S.M.da Feira e Aveiro, o PCP questionou o Governo sobre as quantias que estarão a ser cobradas a alguns utentes do SNS que, em alguns casos, chegam aos 200 euros!

Ver pergunta ao Ministério da Saúde sobre as Taxas moderadoras no Distrito de Aveiro

1. O Serviço Nacional de Saúde (SNS), desde a sua fundação em 1979, conseguiu em tempo recorde a proeza de transformar Portugal num dos países com melhores cuidados de saúde no mundo. Assente no artigo 64 da Constituição da República (CRP), o SNS garantiu cuidados de saúde universais, de qualidade e tendencialmente gratuitos para o utente. É falsa a propaganda neoliberal que afirma que este nível de cuidados é insuportável para o Estado e que um SNS baseado na solidariedade é caro. Portugal “gasta” 11,3% do PIB em cuidados de saúde contra, por exemplo, 16,2% do PIB nos Estados Unidos da América. Contudo, o nosso sistema público consegue uma esperança média de vida de 78,70 anos contra 78,49 anos nos EUA e uma mortalidade infantil de 4,60 por mil nados vivos contra 5,98 por mil nos EUA. Desta forma, prova-se empiricamente que a privatização dos cuidados de saúde prejudica o nível de cuidados prestados e é mais cara quer para o utente quer para o Estado.

Manifestação no Porto em defesa do SNSOs portugueses vão defender o Serviço Nacional de Saúde

Correspondendo ao apelo do Movimento em Defesa dos Serviços Públicos do Distrito de Aveiro, cerca de uma centena de pessoas deste distrito participaram na Jornada Nacional em Defesa do SNS com concentrações e desfiles convocadas para várias cidades do País, distribuindo-se pelas manifestações do Porto e de Coimbra, apesar das difíceis condições meteorológicas que se fizeram sentir. Merecendo «um forte repúdio e indignação por parte da população» o encarecimento e a redução dos serviços, é parte do ataque brutal que este Governo tem desencadeado contra o Serviço Nacional de Saúde visando colocar a saúde ao serviço da acumulação capitalista, promovendo a privatização e inculcando, cada vez com maior profundidade, a mitologia do utilizador/pagador ao arrepio do preceito constitucional que aponta o direito à saúde com carácter tendencialmente gratuito.

Transcreve-se requerimento ontem apresentado na AR sobre o Hospital Infante D. Pedro (Aveiro).

Destinatário: Min. Saúde

Ex. ma Sr.a Presidente da Assembleia da República

São por demais conhecidos os cortes impostos pela troika e ampliados por este governo no sector da saúde, causando situações dramáticas um pouco por todo o país. Esta situação agravou-se substancialmente com a recentemente aprovada lei de enquadramento orçamental, que responsabiliza civil e criminalmente os administradores hospitalares pela não aplicação dos cortes draconianos na despesa, ainda que isto signifique a completa degradação do serviço, como está de resto a acontecer em várias unidades de saúde do nosso Pais.


Para o topo