Nota de Imprensa da CDU / Stª Mª da Feira

Numa semana em que se fez nota de um estudo da universidade do Porto onde se fazia a observação da má qualidade do ar que se respira dentro de edificações escolares, a CDU Feira, no âmbito das suas iniciativas programadas para a campanha “Legislativas 2015” levou a efeito uma jornada de esclarecimento e denúncia, sobre os riscos da presença de amianto nas coberturas das edificações escolares.

Esta iniciativa de campanha, que ocorreu à entrada da escola secundária de Fiães, sede do agrupamento de escolas Coelho e Castro, era essencialmente dirigida a encarregados de educação, professores e auxiliares de ação educativa, ocorreu logo à entrada para o primeiro tempo das atividades letivas da manhã, visava informar os elementos desta comunidade escolar e assim, simbolicamente, servir de alerta para todas as outras comunidades que padecem deste gravíssimo problema de saúde pública no concelho de Santa Maria da Feira e no país.

Este grave problema é sistematicamente passado para segundo plano, sendo tantas vezes dissimulado com obras de remedeio no sentido de enganar a opinião pública mas permanecem por resolver, um pouco por todo o lado, nomeadamente em edifícios públicos debaixo da alçada das autarquias, como no caso do município feirense.

À porta da escola secundária de Fiães a CDU Feira colocou dois cartazes com simbologia específica, emanada da Autoridade para as Condições de Trabalho e que fez chegar a diferentes entidades. Esta sinalética e demais informação pormenorizada encontra-se na página pública da ACT para quem procure mais informação específica. Enquanto decorria todo o bulício característico do período de entrada para as aulas, foram distribuídos folhetos informativos que esgotaram com rapidez, tal a procura de que foram alvo.

Cumpre-nos como nota final desta iniciativa deixar um alerta para a questão do Radão, segundo os investigadores os valores elevados podem estar relacionados com o material de construção dos edifícios. O radão está presente em várias zonas do país, sendo a nossa região uma zona laranja ou seja de valores intermédios. Segundo a legislação nacional, é obrigatório realizar análises à sua concentração em edifícios comercias e de serviços, em alguns distritos, mas em Aveiro não temos conhecimento desses dados. O estudo Inairchild relaciona ainda estes resultados com o aumento da probabilidade de se vir a desenvolver asma. Os dados deste estudo sobre a qualidade do ar nas salas de aula deverá fazer pensar aqueles que optaram por escolas “herméticas” servidas por sistemas de ventilação e climatização caríssimos no seu funcionamento e para os quais as escolas não dispõem orçamento para manter e atividade.

 

Santa Maria da Feira, 25 de setembro de 2015
Comissão coordenadora da CDU Feira

Para o topo