Miguel Viegas, acompanhado de diversos candidatos da CDU às próximas eleições legislativas, teve, ontem, uma profícua jornada, começando com uma reunião com a Associação Nacional de Deficientes e Sinistrados do Trabalho, seguindo-se um périplo por diversas empresas dos concelhos da Feira, Albergaria-à-Velha e Ovar e com encerramento em Oliveira de Azeméis num jantar de militantes e simpatizantes. A reunião com Associação Nacional de Deficientes Sinistrados do Trabalho assume particular importância na medida em que Portugal continua com índices de sinistralidade no trabalho muito acima da média europeia. Pela parte da CDU esta continua a ser uma componente fundamental na defesa dos direitos dos trabalhadores. Tal como no passado, a CDU continuará a propor medidas de acompanhamento mais efectivo às vítimas de acidentes laborais exigindo também mais meios aplicados à prevenção.

Em 2018 morreram 156 trabalhadores vítimas de acidentes laborais, dos quais 7 no distrito de Aveiro. Este número coloca Portugal no topo da União Europeia em matéria de acidentes nos locais de trabalho e representam apenas parte de uma realidade bem mais grave que afecta milhares de famílias. Nesta reunião, foram abordadas as principais preocupações da ANDST relativas aos acidentes de trabalho e doenças profissionais, sendo destacado o elevado número de acidentes no Distrito de Aveiro, e a ausência de estatísticas sobre doenças profissionais que afectam, entre outros, os trabalhadores da Industria da Cortiça.

Outras preocupações da ANDST são as dificuldades que os trabalhadores têm encontrado no exercício dos seus direitos quando padecem de doença profissional. Pela parte da CDU, esta realidade demonstra a necessidade de melhorar os apoios aos sinistrados mas, também, as condições de trabalho no seio das empresas. A ligação comprovada da sinistralidade no trabalho aos vínculos precários é outro motivo que reforça a necessidade de defender e valorizar os direitos dos trabalhadores. Miguel Viegas, em nome da CDU, comprometeu-se a analisar todas as questões colocadas visando a realização de um plano de medidas legislativas a propor na próxima legislatura, sendo que, muitas delas, já foram apresentadas no passado, chocando, infelizmente, com a oposição do PSD, CDS e PS.

Gabinete de Imprensa da
Coordenadora Distrital de Aveiro da CDU

Para o topo