Ministério da Saúde insensível a queixas dos aveirenses

Em 18 de Outubro de 2008, o Grupo Parlamentar do PCP questionou o Ministério da Saúde sobre a ausência de médico dentista a prestar serviço do Centro de Saúde de Aveiro.

Na resposta, que o Ministério agora faz chegar ao Grupo Parlamentar deste Partido, é revelada a falta de respeito pelos utentes deste Centro de Saúde.

Às três questões colocadas, o Ministério nada responde, refugiando-se em formulações vagas.
Não assume qualquer compromisso quanto à substituição da médica dentista que ali exercia, ainda que fossem só 12 horas por semana.


E ainda por cima joga com as palavras, julgando ter apanhado o PCP na falha de pensar que existia um Serviço de Odontologia no centro de Saúde.

No completo desinteresse que mostra pela saúde oral dos aveirenses, o Ministério, assumindo que não há Serviço de Medicina Dentária, não diz o porquê, tendo em conta que nesta cidade há 80000 habitantes que bem precisariam de consulta regular de dentista.

O que fica claro da pergunta do Grupo Parlamentar do PCP e da resposta do Ministério são três verdades indesmentíveis.

A primeira é que, até ao mês de Setembro, era prestado, no Centro de Saúde de Aveiro, um serviço de medicina dentária, por parte de um profissional de saúde, que ali praticava 12 horas por semana.

A segunda é que não há garantia de que este serviço seja reposto, e ainda menos que esse serviço seja alargado, como as necessidades da população do concelho exigiriam.

A terceira é que na ausência deste serviço, os utentes mais carenciados do concelho de Aveiro ou terão que recorrer a médicos privados, com os custos que isso implica, ou deixarão de ter acesso à saúde oral.

 

O Gabinete de Imprensa da DORAV do PCP
Aveiro, 12 de Dezembro de 2008

Para o topo