Aveiro

A Comissão Concelhia de Aveiro do PCP vem denunciar a continuidade das inaceitáveis políticas de alienação de património e concessão de serviços públicos por parte do Executivo municipal PSD/CDS de Ribau Esteves.

Como é de conhecimento público a maioria PSD/CDS votou em sede de Assembleia Municipal, na passada semana, a concessão do serviço de transportes até agora realizado pela MoveAveiro, bem como a alienação das acções detidas pela CMA na ERSUC.

No início do mês de Maio, a Câmara Municipal de Aveiro convocou as Associações de Pais para uma reunião onde, entre outros pontos, se iria discutir uma proposta da autarquia em relação à gestão da componente de apoio à família (CAF), nas escolas do 1º ciclo de Aveiro. Esta proposta consistia globalmente em transferir a responsabilidade da gestão da CAF para as associações de pais de Aveiro, com o apoio da CMA, seguindo assim o modelo implementado no concelho de Ílhavo.

No caso de aceitarem a proposta apresentada, as associações de pais passariam a ter várias responsabilidades a seu cargo, nomeadamente:

- a organização de um serviço de 11 meses,

- a contratação dos recursos humanos necessários,

- a gestão e a supervisão do prolongamento de horário, incluindo a concepção, implementação e avaliação de um plano anual de actividades,

- a gestão das despesas inerentes aos pontos anteriores.

Nesta eventualidade, o que caberia à Câmara, que até hoje tem assumido o papel de organização e gestão da CAF no 1º ciclo, no âmbito das suas responsabilidades a nível do pelouro da educação, seria apenas uma parte do financiamento, sendo que as fontes de financiamento seriam também a cargo das famílias e de outros eventuais apoios.

Nota distribuída à imprensa pela Comissão Concelhia de Aveiro do PCP

esboço a lápis da ES Homem Cristo, Aveiro

A Comissão Concelhia de Aveiro do PCP opõe-se e repudia as tentativas de desvalorização da importância da Escola Secundária Homem Cristo com vista ao seu encerramento por parte do Executivo PSD/CDS da Câmara Municipal de Aveiro.

O PCP considera que a Escola Secundária Homem Cristo em Aveiro é um elemento essencial na realidade dos espaços educativos de Aveiro e um elemento de grande dinamismo no centro da cidade. Ao que, naturalmente, ainda acresce o enorme legado histórico, social, educativo e cultural do edifício.

Contactado por diversos trabalhadores, o PCP vem publicamente denunciar a inaceitável situação que a Câmara Municipal de Aveiro (CMA) está a criar.

No seguimento da extinção da MoveAveiro, a CMA abordou os trabalhadores para que estes fossem cedidos aos serviços camarários para continuarem a exercer as mesmas funções por um período de um ano, findo o qual seria aberto um concurso público para essas vagas ao qual todos os trabalhadores poderiam concorrer, mas no qual nenhum teria a garantia de ser colocado.

Para lá desta antecâmara de desemprego - perfeitamente evitável se houvesse vontade política por parte do executivo camarário liderado por Ribau Esteves - a proposta de acordo para cedência por interesse público é, igualmente, vergonhosa.

Trabalhadores da Renault alcançaram importante vitória

O PCP saúda calorosamente a importantíssima vitória alcançada pela luta dos trabalhadores da Renault Cacia! Depois de três dias de greve e vários plenários de sindicais foi possível alcançar as reivindicações dos trabalhadores, com a conquista de um aumento salarial de 30 euros e a passagem de 45 trabalhadores com vínculo precário a efectivos

Ao contrário do que tantas vezes se apregoa (“as greves não servem para nada”, “os sindicatos não fazem nada”), aqui fica claro e indesmentível que – como tantas vezes o PCP repete – a luta é o caminho para alcançar as justas aspirações dos trabalhadores.

Esta é uma vitória da unidade, determinação, persistência e coragem dos trabalhadores da Renault, mas que tem importância para todos os trabalhadores do País e, em particular, de Aveiro.  Ela é, além do mais, uma vitória da justiça e do progresso, numa empresa que tem lucros fabulosos e num país em que o modelo de baixos salários condena milhões de portugueses à miséria e a economia nacional ao definhamento.

Nota de imprensa da Comissão Concelhia de Aveiro do PCP

Greve na Renault - foto de 1.4.2015

Cumpre-se hoje, 14 de Maio, a terceira paralisação dos trabalhadores da Renault Cacia no período de mês e meio. Apesar das chantagens, pressões, desinformação e tentativa de divisão dos trabalhadores por parte da administração da empresa, a greve de hoje foi um novo êxito e a fábrica voltou a parar.

O PCP, que hoje como sempre esteve junto dos trabalhadores nos piquetes, expressa a sua mais profunda solidariedade com esta luta. Tal como antes expressámos, as reivindicações dos trabalhadores são totalmente justas e a sua satisfação representará não apenas um ganho para estes, mas para todo o País. Aumentar salários e combater a precariedade são dois dos eixos fundamentais para inverter a política de miséria e ruína que trouxe Portugal à situação actual, pela mão de PS, PSD e CDS.

Trabalhadores da Renault CACIA em greve

Dando continuidade à luta travada pelo aumento dos salários e o combate à precariedade na empresa, os trabalhadores da Renault Cacia voltaram hoje a realizar um dia de greve.

Esta acção, que conta com níveis de adesão altíssimos, constitui a única resposta possível perante a inflexibilidade da Administração e do Grupo Renault.

A elevada adesão dos trabalhadores, apesar das manobras de bastidores para tentar desmobilizar a greve, revela a unidade entre os que com o seu trabalho na fábrica contribuem diariamente para os extraordinários resultados desta unidade de produção e de todo o Grupo.

Saiu o Boletim da Célula do PCP no CHBV (Hospital). Reflectindo as dificuldades levantadas aos profissionais, descrevendo-as detalhadamente, levanta o véu sobre uma das facetas mais trágicas da estratégia da política de direita no sentido da destruição do Serviço Nacional de Saúde. Aponta responsabilidades e apela à luta de profissionais e utentes contra o flagelo imposto por obscuras razões à população, em benefício da ganância de alguns interesses privados que querem médicos e enfermeiros baratos e desempregados,

Para o topo