Aveiro

A situação da Moveaveiro agrava-se de dia para dia, fruto de uma política de destruição que compromete toda e qualquer estratégia de viabilização da empresa. Em vez de viabilizar a empresa, integrando-a no perímetro da Câmara Municipal e transformando a Moveaveiro num verdadeiro instrumento ao serviço da população e do desenvolvimento do Concelho, este executivo municipal, à semelhança dos anteriores, persiste no firme propósito de tudo fazer para a sua inviabilização.

Os fiscais da Movepark, responsáveis pela fiscalização da área de estacionamento pago na cidade de Aveiro vivem momentos dramáticos, à semelhança dos restantes trabalhadores da Moveaveiro.

Fruto de uma completa desorientação política dos sucessivos executivos municipais que passaram pela Câmara de Aveiro, a verdade é que não existe uma verdadeira política de mobilidade que oriente e coordene as questões do trânsito, do estacionamento, dos transportes públicos e da promoção dos modos suaves de locomoção.

As políticas de estacionamento revelam de forma clarividente esta ausência de ideias e demonstram a incompetência de quem nunca soube gerir a coisa pública em benefício dos cidadãos. Foi a construção de parques de estacionamento sem critério, como é o caso da praça Marquês de Pombal, foi a criação de zonas de estacionamento em áreas residenciais, onde o investimento em parquímetros se revelou profundamente negativo para a empresa, e por fim a tentativa de concessão de múltiplos parques subterrâneos, já numa fase delirante do último mandato 2009-2013 da responsabilidade de PSD-CDS.

No quadro da realização da última Assembleia da União de Freguesias da Glória e Vera-Cruz, Rosa Gadanho, eleita pelo PCP naquele órgão autárquico, colocou um conjunto de questões prementes que se arrastam há já algum tempo e começam a infernizar a vida de grande parte da população.

Acesso à Escola Básica Sá Barrocas, AveiroA primeira questão tem a ver com os acessos à Escola Básica das Barrocas. Não se compreende como é que não foi possível, ao longo destes anos, resolver um simples desnível de cerca de 50 cm, que obriga à realização de uma autêntica gincana para aceder àquele estabelecimento de ensino, criando, inclusivamente, uma situação de risco para todos os utentes. Neste sentido, o PCP entende que, com pouco investimento, poder-se-ia resolver o problema do desnível, permitindo um melhor aproveitamento de todo aquele espaço, com parque de estacionamento e passeios verdadeiramente condignos.

A Comissão Concelhia de Aveiro do PCP, comunica que entregou na passada Terça-Feira, nos serviços de apoio da Assembleia Municipal de Aveiro o agendamento potestativo de um ponto na Ordem do Dia na próxima Sessão Ordinária sobre: Regimento da Assembleia Municipal de Aveiro – Propostas de alteração.

As propostas de alteração ao Regimento que o PCP apresenta, não representam de forma alguma o acordo do PCP com a globalidade ou com o espírito político presente no Regimento que foi aprovado pela maioria PSD/CDS na última Sessão Extraordinária da Assembleia, pelo contrário visam apenas minorar alguns dos mais negativos elementos constantes no Regimento, introduzindo elementos de valorização do papel do público, dos deputados municipais e dos diferentes grupos municipais e do papel fiscalizador da Assembleia.

A sessão da Assembleia Municipal de Aveiro, que decorreu dia 22 em Aveiro, para além de confirmar a imposição unilateral pela maioria PSD/CDS, por Ribau Esteves e pelo Presidente da Assembleia Municipal, de um Regimento que procura impedir ou dificultar ao máximo a participação do público e que limita de forma arbitrária o tempo de intervenção dos partidos minoritários - Regimento que veio a ser aprovada pelo PSD/CDS -, revelou também o cariz intolerante e antidemocrático da presidência PSD desta Assembleia Municipal.

O Presidente da Assembleia Municipal, revelou-se incompetente para a função que exerce, denotando tiques de autoritarismo irresponsável e pelo menos, mal-educado. Uma atitude que, em Aveiro, (ou onde quer que seja) é inaceitável para o exercício daquelas funções. O Presidente da Assembleia chegou mesmo a interromper a intervenção do eleito do PCP, para fazer acusações e contra-argumentar. Uma postura antidemocrática com que visa intimidar os comunistas, as outras forças políticas, a população e os seus próprios correlegionários.

A Comissão Concelhia de Aveiro do Partido Comunista Português manifesta-se contra a instalação de um muro na Linha do Vouga, dias antes das últimas eleições autárquicas, que veda o acesso da população de Esgueira à Estação da CP e a toda essa zona da cidade. Facto agravado pelo conhecimento que as autoridades competentes têm do transtorno que esta situação tem causado às populações, sem que tenham ainda encontrado outra solução.

No dia 10 de Novembro, faz 100 anos que nasceu Álvaro Cunhal

No próximo dia 10 de Novembro faz 100 anos que nasceu Álvaro Cunhal. As comemorações do Centenário do seu nascimento estão a decorrer por todo o país, sob o lema: vida, pensamento e luta: exemplo que se projecta na actualidade e no futuro.

Álvaro Cunhal filiou-se no Partido Comunista Português em 1931, com 17 anos de idade, foi seu Secretário-geral de 1961 a 1992, função que lhe permitiu desempenhar um papel decisivo na definição e concretização das orientações que transformaram o PCP num grande Partido nacional, vanguarda da luta antifascista e pelo triunfo da Revolução da Abril.

Álvaro Cunhal, (tal como muitos dos seus camaradas de partido), demonstrou ter não só uma inquebrantável e sólida convicção ideológica, como também uma comprovada coragem física.

Isso é facilmente verificável, porque tendo sido preso pelo regime fascista em 1937, 1940, e de novo em 1949, onde permaneceu preso 11 anos seguidos, dos quais 8 em completo isolamento, e passado por provas terríveis, nunca desistiu de lutar.

Por outro lado, Álvaro Cunhal/Manuel Tiago, produziu uma impressionante obra literária e teórica, sendo considerado o maior pensador político de Portugal do século XX, bem como o dirigente comunista, em todo o mundo, que mais fecunda e extensa obra produziu depois de Lenine.

Álvaro Cunhal podia ter sido muita coisa na vida, mas escolheu ser comunista, um lutador a tempo inteiro pela causa da liberdade e da democracia, pelos direitos dos trabalhadores, recusando sempre vantagens e/ou privilégios pessoais.

Morreu em 13 de Junho de 2005 e o seu funeral foi no dia 15 de Junho, com a participação de centenas de milhares de pessoas.

O país vive uma situação gravíssima, cuja dimensão não era expectável para a maioria dos portugueses, até há bem pouco tempo atrás.

Continuar a luta com convicção, confiança, empenho e coragem pela demissão do governo, por eleições antecipadas e por uma nova política patriótica e de esquerda, é o caminho a prosseguir e a mais significativa das formas de comemorar o centenário de Álvaro Cunhal, homem superior em qualquer parte do mundo!

A Comissão Concelhia de Aveiro do PCP

 

Apurada a totalidade das freguesias do Concelho, a Comissão Coordenadora de Aveiro da CDU, após analisar os resultados, considera que o principal objectivo, da CDU para o concelho, que passava pelo seu reforço em votos e em mandatos, foi cabalmente cumprido.

A CDU cresce em votos em todos os órgãos e freguesias, mantendo o seu eleito na Assembleia Municipal e elegendo nas freguesias de Esgueira e União das Freguesias de Glória e Vera Cruz. Não obstante ter ficado fora do executivo municipal, a CDU sai desta campanha reforçada e com melhores condições de intervir nas autarquias em defesa da qualidade de vida das populações do concelho de Aveiro.

Candidatos em campanha na freguesia de EsgueiraA CDU esteve hoje presente em várias frentes. Começando de manhã pelo Mercado de Cacia, com a presença do respectivo candidato à Freguesia, a caravana seguiu depois para a Renault/CACIA para um contacto com os trabalhadores.

A tarde foi inteiramente dedicada à Freguesia de Esgueira, com a caravana a percorrer as diversas localidades. No contacto com muitas centenas de pessoas, ficou patente a revolta de quem sente na pele as políticas de austeridade provocadas por PS, PSD e CDS. assim como a vontade de mudança. Vontade esta que só pode passar pelo reforço da CDU no próximo Domingo.

Para o topo