Para agravar ainda mais a já depauperada estrutura económica e social do concelho paivense, depois de uma série de falências e encerramentos recentes de empresas aqui sediadas, a conhecida unidade industrial de mobiliário Cerne de Pedorido corre idêntico risco.

Dado que decorre neste momento um processo de insolvência, não está minimamente garantido o futuro da empresa e por consequência os respectivos postos de trabalho. A situação torna-se ainda mais estranha e incompreensível já que a Cerne recebeu apoios estatais e que agora “vão por água abaixo”.

A consumar-se tal encerramento, seria um duro golpe para os seus 140 trabalhadores e respectivas famílias uma vez que na região, como é sabido, não existem quaisquer alternativas de emprego e, com a progressiva destruição do seu aparelho produtivo, Castelo de Paiva está na iminência de uma verdadeira catástrofe social. E que será ainda mais agravada com os cortes nos salários e prestações sociais que o Governo PS/ Sócrates com o aval do PSD nos quer impor.

Tudo isto, como temos denunciado, decorre de políticas erradas de sucessivos governos PS e PSD, com ou sem CDS, que em vez de apostarem na defesa da produção nacional, da pequena e média empresa e na dinamização da economia, antes a tem desmantelado em favor de um punhado de grandes interesses e grupos financeiros.

Só a luta e a resistência dos trabalhadores e das camadas atingidas por esta política pode travar esta autêntica declaração de guerra aos seus mais elementares direitos.

Não ao fecho da Cerne! Pela salvaguarda dos postos de trabalho!

Castelo de Paiva, 23 de Outubro de 2010

Comissão Concelhia de Castelo de Paiva do PCP

Para o topo