DORAV

A Barrinha de Esmoriz/Lagoa de Paramos (BE/LP) é uma lagoa costeira de média dimensão, que comunica com o Atlântico através de um canal aberto e fechado por acção da natureza ou do homem, tendo como afluentes a Ribeira de Rio-Maior (a norte) e a Vala de Maceda (a sul).

Este sítio tem relevância ornitológica e florística, devido à presença do endemismo ibérico "Jasione lusitanica", e até piscícola devido à ocorrência de lampreia-de-riacho, não sendo por acaso que está integrado na Rede Natura 2000, pois é classificado como Sítio de Importância Comunitária (SIC), comprovando não só a sua importância, mas sobretudo atribuindo muita responsabilidade à sua conservação ambiental.

Miguel Viegas, deputado do PCP no Parlamento Europeu, esteve hoje em Arouca a participar numa debate na Escola Secundaria local. Este debate insere-se numa semana temática promovida pelo Agrupamento de Escolas de Arouca intitulada "Semana da Europa", que pretende promover o debate e aprofundar o conhecimento dos jovens sobre a União Europeia.

Num debate animado, com cerca de uma centena de alunos, foram colocadas diversas questões ao deputado do PCP em temas tão diversos como o euro, os refugiados, o alargamento ou as políticas de juventude na UE. Pela parte de Miguel Viegas, a crise da UE é hoje indisfarçável, constituindo o BREXIT um dos seus sinais mais evidentes. Neste sentido, a leitura do livro Branco da Comissão Europeia, com os seus cinco cenários alternativos constitui uma leitura obrigatória que ajuda a perceber o impasse hoje vivido na UE e a formular uma opinião reflectida e crítica dos jovens portugueses sobre o futuro da Europa.

A Direcção da Organização Regional de Aveiro (DORAV) reuniu-se a 21 de Abril, tendo analisado os eixos fundamentais da situação política e social, nacional e regional, e traçado linhas para o desenvolvimento da luta de massas e o reforço do PCP. Foram abordadas ainda as questões relativas à preparação das Eleições Autárquicas e feito balanço da X Assembleia da Organização Regional de Aveiro do PCP.

Nota de Imprensa

Teve lugar na passada 6a feira, 7 de Abril, na Capitania de Aveiro, um debate em torno do centenário da Revolução Socialista de Outubro, mais concretamente acerca do impacto nas condições de vida dos trabalhadores e do povo, quer na Rússia, quer um pouco por todo o mundo e, naturalmente, em Portugal particularmente.

Nesta sessão realizada na emblemática sede da Assembleia Municipal de Aveiro, usaram da palavra como oradores do debate Fernanda Mateus, Paulo Raimundo e Fernando Marques, havendo ainda espaço para alguns comentários e perguntas pela parte da repleta audiência.

O ponto de convergência nas ideias expostas foi o impacto que o fim da guerra, a distribuição da riqueza, a planificação da economia e a socialização dos meios de produção tiveram num país tão atrasado como a Rússia do início do século XX e que faria dele uma das grandes potências em menos de meio século, mesmo com duas guerras mundiais pelo meio!

Tal não poderia contrastar mais com o atraso a que a política fascista condenou Portugal durante 48 anos e, pese embora os imensos avanços alcançados com o 25 de Abril, como é ainda evidente pelos constrangimentos ao desenvolvimento económico-social a que quatro décadas de política de direita - e muito particularmente três décadas de integração capitalista europeia - conduzem.

Estimados camaradas,

A Direcção da Organização Regional de Aveiro saúda de forma calorosa os trabalhos do XI Congresso da JCP.

A Juventude Comunista Portuguesa desempenha um papel insubstituível no quadro do nosso Partido e da própria sociedade portuguesa. A combinação da irreverência e criatividade próprias da juventude com a ligação às massas juvenis, a coragem, a determinação e o desejo de transformação revolucionária da sociedade dos comunistas faz da JCP uma força ímpar.

Sem a JCP o Partido estaria em muito piores condições de difundir o ideal comunista, de formar democraticamente e atrair ao seu seio os muitos milhares de jovens que chegam ao Partido pela via da JCP e os muitos mais que diariamente adquirem consciência na acção transformadora que os jovens comunistas levam a cabo nas escolas e nos locais de trabalho!

Num quadro de crescente complexidade política e permanente desafio no plano ideológico, recolhemos do vosso trabalho, da vossa intervenção e da vossa reflexão elementos preciosos para ir ainda mais longe na tarefa de esclarecimento e mobilização dos trabalhadores e do povo do nosso País.

Seguros do êxito do XI Congresso desejamos a todos os jovens comunistas e à organização revolucionária da juventude portuguesa – a JCP – os maiores sucessos nas lutas e batalhas pela frente, pois com certeza os vossos êxitos serão os nossos êxitos, e os nossos êxitos serão a liberdade e emancipação do povo português!

Que viva a juventude portuguesa!
Que viva sempre e com cada vez mais força a JCP!

Viva o PCP!

Aveiro, 31 de Março de 2017
A DORAV do PCP

Miguel Viegas, deputado do PCP no Parlamento Europeu, esteve nos concelhos de Ovar e Estarreja em contactos com produtores biológicos de mirtilo. A produção biológica tem vindo a afirmar-se de forma crescente na Europa e em Portugal como um modelo alternativo de produção mais sustentável e com mais qualidade e segurança para os consumidores.

Contudo, os produtores portugueses e em particular os produtores da região confrontam-se com dificuldades de várias ordem que decorrem muitas vezes com desconhecimento ou má legislação à realidade específica do produto ou da região. De acordo com os produtores, é necessário mais divulgação e uma melhor e mais dirigida fiscalização por forma a aumentar a confiança dos consumidores relativamente à este mercado emergente. Neste sentido, é muito importante que o Plano de Desenvolvimento Rural apoie mais a produção biológica tendo em conta os elevados custos de produção, mas também os serviços prestador por este setor na preservação do meio ambiente e da biodiversidade. A contaminação por culturas convencionais, a disponibilização de produtos que ainda não estão homologados em Portugal e as tentativas de introduzir OGM neste setor, desvirtuando completamente o conceito, foram temas igualmente abordados.

Miguel Viegas, deputado do PCP no Parlamento Europeu, esteve hoje de visita às instalações da AGIM, no concelho de Sever do Vouga. A AGIM, Associação para os Pequenos Frutos e Inovação Empresarial, é uma associação sem fins lucrativos que centra a sua atividade na valorização e representação da fileira dos pequenos frutos.

A visita, realizada a pedido do PCP, enquadra-se num conjunto de auscultações visando aprofundar o conhecimento da realidade da produção biológica em Portugal e na região, e recolher contributos para as atuais negociações em curso, entre o Parlamento Europeu e o Conselho, sobre o novo regulamento sobre produção biológica.

Dando seguimento à acção "Mais direitos, mais futuro, não à precariedade!", activistas do PCP dedicaram a tarde de hoje ao contacto com trabalhadores do sector da vigilância, a fim de denunciar a precariedade no sector e apresentar as propostas do Partido para a erradicação deste flagelo.

Apesar da multiplicação de empresas que operam no sector - prestando serviço tanto ao sector privado, como à Administração Pública - a situação dos trabalhadores é igualmente grave em todos os casos.

Este sector é marcado pelo desrespeito pela Contratação Colectiva por parte das empresas abundado a desregulação horária.

Os vigilantes vêm-se confrontados com o facto de, apesar de permanecerem vinculados à mesma empresa durante anos, sempre que a empresa perde a concessão de determinado posto de trabalho, vêm-se de malas de viagem de posto para posto ao sabor dos interesses da empresa. Consequentemente os vigilantes que permaneçam no mesmo posto tem os seus direitos adquiridos arrasados voltando ao início da carreira sucessivamente.

Teve lugar nas instalações da Associação Industrial do Distrito de Aveiro (AIDA) uma reunião entre essa estrutura e o Partido Comunista Português.

Neste encontro, os representantes do PCP expuseram as principiais propostas do Partido para o País, caminho apontado pelo XX Congresso em que é essencial fazer face aos constrangimentos da dívida pública (cuja renegociação é urgente), garantir o controlo público da banca e libertar Portugal dos constrangimentos que decorrem da participação de Portugal no Euro.

Pela parte da AIDA foram abordados aspectos como: a necessidade de reforçar o investimento público, criando mais condições para o desenvolvimento do sector produtivo no distrito, particularmente através da melhoria das infra-estruturas ferroviárias e rodoviárias; investimento na justiça; garantia de uma política fiscal mais justa; investimento na formação dos trabalhadores; necessidade de uma política que reduza os custos de contexto (energia, transportes, impostos, etc.) que tanto penalizam o desenvolvimento do sector produtivo.

Tal como em todo o País, a Organização Regional de Aveiro do PCP realiza hoje, Dia Internacional da Mulher, um conjunto de contactos em locais de trabalho maioritariamente femininos com os trabalhadores e, em particular, as trabalhadoras.

Nesses contactos é entregue um folheto nacional do PCP que assinala esta importante data, colocando a necessidade que se cumpra o preceito constitucional de igualdade plena entre homem e mulher - algo que hoje está ainda muito longe de acontecer em diferentes esferas da sociedade e, desde logo, no próprio mundo laboral, por via da desigualdade salarial, da negação de direitos ou mesmo discriminação no momento da contratação.


Para o topo