DORAV

A campanha de autêntica propaganda levada a cabo pela administração da Renault Cacia – considerada uma vez mais “a melhor unidade do grupo” – não podem ocultar a cada vez mais grave realidade vivida pelos trabalhadores da empresa, caso para dizer que, “quem está no convento é que sabe o que lhe vai dentro”.

Na sequência do famigerado “acordo de competitividade” imposto em 2016, os resultados positivos cingem-se ao aumento dos lucros da empresa, decorrente de uma produção cada vez mais intensiva, de ritmos de trabalho cada vez mais acelerados, de uma redução significativa da massa salarial, de uma crescente pressão e penalização sobre todos os que ousam questionar a situação e as contínuas imposições aos trabalhadores – que já chegaram à própria proibição de fumar!

Mas tememos que a história não acabe por aqui!

Chegou ao conhecimento do PCP que há consultas de Urologia a serem desmarcadas por tempo indeterminado no Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV). Há relatos também de doentes que ficaram sem fazer o seu tratamento mensal.

O PCP apurou que tal se ficou a dever à saída de dois médicos urologistas desde Janeiro de 2018, que anteriormente estavam integrados no Serviço de Urologia do CHBV.

Esta situação é preocupante e demonstra o desgaste a que estes profissionais estão sujeitos pelas políticas de desinvestimento no Serviço Nacional de Saúde levadas a cabo pelos sucessivos governos de direita e que o actual executivo tarda em reverter. Há médicos recém-especialistas à espera de colocação há vários meses. Quem sofre são as populações e quem ganha são os grupos privados instalados no sector da saúde.

De acordo com as informações veiculadas pela comunicação social, está projectado pela administração dos CTT o encerramento de 3 balcões dos Correios no Distrito de Aveiro. Os postos agora visados são: Paços Brandão, uma das maiores freguesias de Santa Maria da Feira; Universidade de Aveiro, bem no coração da capital do distrito; e Barrosinhas, em Águeda, na fronteira com o concelho de Aveiro.

A confirmar-se, o encerramento destes balcões terá graves implicações na vida de todos os utentes dos CTT, em particular, e das populações, em geral. É importante notar que, para lá das esfarrapadas desculpas até agora apresentadas, tais encerramentos converter-se-ão no aumento das deslocações de actuais utentes (algo muito complexo no caso sobretudo de alguma população mais idosa, que depende dos Correios para o levantamento das suas pensões, em territórios onde é reconhecida a falta de transportes públicos de qualidade), mas também no sufocar dos balcões remanescentes, onde logicamente os tempos de espera aumentarão e a qualidade do serviço se degradará ainda mais – pese embora os esforços dos trabalhadores da empresa.

Descarregar anexo AR > Fiscalização Política > Pergunta ao Governo

Ao contrário do que seria expectável, os trabalhadores do Centro Hospitalar do Baixo Vouga não receberam hoje os seus salários. Em vez disso receberam uma curta nota, em que se remetia para o dia de amanhã o pagamento, sem qualquer explicação.

O PCP observa esta situação com grande preocupação. Consideramos que deve ser dada uma explicação cabal do que se passou e garantido que amanhã os salários são efectivamente processados. Da mesma forma, exige-se que se tomem todas as medidas para evitar que tal se repita no futuro.

Por via do seu Grupo Parlamentar na Assembleia da República, o PCP endereçou ao Ministério da Saúde uma pergunta com os elementos acima citados.

Diana Ferreira, deputada do PCP na Assembleia da Republica, acompanhada por dirigentes locais e regionais deste Partido, deslocou-se ao Concelho de Castelo de Paiva, na tarde de segunda–feira, para se inteirar em pormenor da dimensão da vaga de incêndios que atingiu também o seu território nos passados dias 15 e 16 de Outubro.

Neste périplo pelas zonas mais afectadas pelo fogo, quer em contacto com vários dos seus moradores, a delegação do PCP pode constatar o grau de devastação e destruição não só de habitações, unidades industriais e de uma parte significativa da sua mancha florestal, o que provoca as mais legitimas e profundas preocupações quanto à estabilidade futura e desenvolvimento sustentável do próprio Concelho, flagelado nos últimos anos, como é conhecido, por outras tragédias e encerramento sucessivo de grandes empresas.

Inaugurando uma jornada de duas semanas de acções de contacto com as populações em todos os concelhos onde passa a Linha do Vale do Vouga (Espinho, Santa Maria da Feira, São João da Madeira, Oliveira de Azeméis, Albergaria-a-Velha, Águeda e Aveiro), o PCP marcou presença na estação de Espinho-Vouga para contacto com os utentes, contando com a presença da deputada na Assembleia da República, Diana Ferreira.

Depois de anos de intensa luta das populações e insistência do PCP na Assembleia da República, foi finalmente aprovado durante o mês de Setembro um projecto de resolução que consagra a defesa, reabilitação e modernização da Linha do Vale do Vouga!

Ao contrário de outros, que defendem uma compartimentação da Linha e a dependência de fundos europeus para a necessária intervenção, o projecto do PCP sublinha a necessidade que a Linha do Vale do Vouga seja reabilitada como um todo, ou seja, de Aveiro a Espinho (com interface com a Linha do Norte) e com nó em Sernada para garantir a ligação a Viseu.

A Direcção da Organização Regional de Aveiro (DORAV) do PCP reuniu no dia 4 de Outubro de 2017, analisando o actual quadro da situação política internacional, nacional e distrital, com particular ênfase no balanço das Eleições Autárquicas e projecção das tarefas futuras no que toca à intervenção do PCP e ao seu reforço orgânico.

1. A DORAV do PCP saúda de forma muito calorosa as centenas de homens, mulheres e jovens, militantes e não militantes do PCP e do PEV que, nos últimos meses, permitiram dar resposta às inúmeras tarefas que se colocaram ao Partido e à CDU. Fosse no quadro das eleições ou no âmbito da preparação, divulgação e concretização da Festa do Avante!, tudo o que se alcançou não seria possível sem a abnegada e desinteressada entrega deste importante colectivo.

2. Nestas Eleições Autárquicas a CDU apresentou-se e agora confirma-se como grande força de esquerda no Poder Local, ao lado das populações nas suas mais fundas aspirações de uma vida melhor. O resultado destas eleições, com perda de 2 mandatos em Assembleias de Freguesia e 5 em Assembleias Municipais, no cômputo geral do distrito de Aveiro, não é separável de uma linha de silenciamento, deturpação e até caricatura realizada por alguns órgãos de comunicação social, aliada ao aproveitamento político que algumas forças fizeram da sua posição de poder e à emergência do populismo e demagogia de várias forças políticas que agora se apresentavam – com o seu logótipo ou travestidos de independentes – como grandes paladinos da defesa das populações, quando nos últimos anos foram cúmplices (quando não obreiros) da perda de qualidade de vida decorrente da privatização da água e da recolha de resíduos, da ausência de uma política de transportes públicos adequada às necessidades, da promoção das desigualdades sociais, entre outros.

1. A Festa do Avante! 2017 realiza-se nos dias 1, 2 e 3 de Setembro. Maior evento político-cultural do País, a festa que recebe do órgão central do PCP o seu nome, conta mais uma vez com um vastíssimo programa: mais de 200 espectáculos de múscia, teatro e cinema, dezenas de debates, provas desportivas e um inúmero lote de experiências de gastronomia, enologia e artesanato para dar conhecer aos seus visitantes.

2. Prova da diferença dos comunistas face a quaisquer outras formações partidárias do espectro nacional, a Festa do Avante, é construída por milhares de homens, mulheres e jovens que, pagando o seu próprio ingresso (a Entrada Permanente – EP), asseguram de forma voluntária os três dias de funcionamento deste evento único no nosso País.

3. Muito mais do que um mero “festival de Verão”, a Festa do Avante é marcada pelos valores da amizade, da cooperação, da vontade da transformação da sociedade portuguesa e a construção de um mundo melhor. Como não podia deixar de ser, a Festa do Avante contará novamente com a presença de mais de uma centena de delegados internacionais de outros países dos quatro cantos do Globo.

O Partido Comunista Português entregou hoje na Assembleia Municipal de Aveiro, proposta de Moção sobre a situação na Portugal Telecom e Grupo Altice, a ser discutida e votada na sua próxima Sessão.

Face à importância da empresa, da sua relevância no Concelho, e, especialmente, pela grave situação em que se encontram os seus trabalhadores, o PCP propõe que a Assembleia se solidarize com os trabalhadores e contra a grave situação laboral na empresa (despedimentos e agravamento da precariedade) e, ainda, que recomende ao Governo o regresso da PT ao controlo publico.

Aveiro, 2 de Agosto de 2017
O Gabinete de imprensa da DORAV do PCP

Decorreu hoje uma iniciativa de luta dos trabalhadores da PT/MEO/Altice, que no seguimento de um plenário, se concentraram à porta das instalações da empresa, em Aveiro.

Nesta acção dezenas de trabalhadores mobilizaram-se para apelar à administração da empresa que interrompa o já conhecido processo de despedimento e precarização das condições laborais de centenas de trabalhadores.

Em solidariedade com os trabalhadores em luta estiveram presentes Miguel Viegas, deputado do PCP ao Parlamento Europeu, e Filipe Guerra, deputado do PCP na Assembleia Municipal de Aveiro, que integraram a delegação dos comunistas esta manhã.


Para o topo