O PCP esteve na Pascoal numa acção de contacto com os trabalhadores, integrada na campanha "Valorizar os trabalhadores, mais força ao PCP!".

Foi evidente a empatia dos trabalhadores desta empresa com as propostas do PCP, pois também eles sentem na pele a exploração e a precariedade.

A Pascoal, empresa que está em constante crescimento, quer a nível de ofertas no mercado, quer a nível de volume de negócios, peca por não acompanhar/ partilhar este crescimento com os seus trabalhadores.

Nesta empresa há um constante entra e sai de trabalhadores contratados a prazo, que obviamente nem têm a oportunidade de ingressar nos quadros da empresa, apesar de desempenharem funções permanentes!

Os trabalhadores com mais de 5, 10 e 15 anos de antiguidade recebem apenas uma diuturnidade e, apesar disso, o seu rendimento mensal não chega aos 600€. Para além dos baixos salários, os trabalhadores sofrem grande pressão e exigência nos ritmos de trabalho, muitas vezes desenvolvido também em situações muito precárias.

Assim, o PCP apela aos trabalhadores que não desistam de lutar por salários e ritmos de trabalho dignos, comprometendo-se a prosseguir a sua acção para que as aspirações dos trabalhadores encontrem eco no fim das normas gravosas do Código do Trabalho e no reforço e melhoria dos meios de vigilância das condições de trabalho por parte das entidades competentes.

Aveiro, 4 de Abril de 2017
O Gabinete de Imprensa da Dorav do PCP

Para o topo