Realizou-se no passado sábado no Centro de Trabalho de Aveiro do PCP um plenário onde se discutiu o papel do PCP na defesa dos direitos das mulheres, com a presença de Fernanda Mateus membro da Comissão Política do Comité Central e onde estiveram presente três dezenas de participantes, na sua maioria mulheres.

A luta das mulheres nunca foi uma luta de género, mas sim uma luta de classes. Actualmente tentam-se colocar mulheres contra os homens quando na realidade ambos são explorados no seu local de trabalho, sendo mais fácil dividir as pessoas por género, para desviar a atenção dos problemas reais e concretos a que especificamente as mulheres estão sujeitas.

O plenário contou com várias intervenções onde se conclui que há muito a fazer no que respeita aos direitos das mulheres, pois embora alguns já estejam consagrados na lei, na realidade, os direitos ficam à mercê de cada um e, muitas vezes, por concretizar, seja, por exemplo, nos horários de trabalho ou no direito da criança à amamentação.

Entre as questões colocadas, realce para a necessidade da criação de uma rede pública de creches e de uma rede pública de lares, uma acção mais célere, por parte dos organismos públicos, nos processos de determinação de doença profissional ou nos processos de repressão e intimidação no local de trabalho.

Porque a luta das mulheres pelos seus direitos, pela emancipação e pela igualdade é uma luta própria e ao mesmo tempo uma luta de todos os trabalhadores, foi feito o apelo à participação de todos na manifestação nacional de mulheres agendada para dia 9 Março, promovida pelo Movimento Democrático de Mulheres.

Por tudo isto é urgente o reforço do PCP, o partido que esteve e estará sempre do lado de quem é explorado e conhece os problemas dos portugueses, sejam eles mulheres, homens ou crianças.

 

Aveiro, 21 de Janeiro de 2019

O Gabinete de Imprensa da DORAV do PCP


Para o topo