A introdução de portagens nas chamadas SCUT, para além de não resolver nenhum problema de ordem financeira, constituiu uma tremenda injustiça para as populações afetadas. Esta medida tem conduzido ao agravamento da situação económica de muitas empresas e dificulta em muito a vida de inúmeras pessoas que utilizam esta via para se deslocar diariamente para o trabalho ou para ter acesso aos raros serviços públicos, também eles fortemente penalizados com as opções políticas de sucessivos encerramentos de escolas, tribunais, hospitais e centros de saúde. Tem contribuído para o aumento do tráfego rodoviário, incluindo de pesados, nas vias secundárias e urbanas, com forte perigo para a circulação automóvel e pedonal.

A eliminação das portagens nestas vias, como proposto pelo PCP, é uma medida de elementar justiça! É pois incompreensível que PS, PSD e CDS escolham, uma vez mais, ignorar esta situação e inviabilizar a aprovação das propostas do PCP. E inconcebível e demagógica é a posição do CDS e PSD quando o que têm para contrapor – e só aos aveirenses – é a “deslocação” do chamado “pórtico do Estádio” – embora não se saiba para onde – ou então o “estudo de alternativa” - mas continuando a pagar, naturalmente -.

O PCP, que desde a primeira hora, esteve e está na primeira linha da defesa do fim das portagens nas ex SCUT, reafirma que estas vias, por serem fundamentais para o desenvolvimento regional, por não terem alternativa viável e por imperativo de justiça não devem ser portajadas.

 


Gabinete de Imprensa da Dorav
Aveiro, 8 de Fevereiro de 2019


Para o topo