Joaquim Almeida no uso da palavraNo passado dia 10 de Maio de 2013, no Centro Multimeios da Cidade de Espinho, a CDU apresentou todos os primeiros nomes de todas as listas do concelho perante uma plateia de dezenas de espinhenses.

A sessão foi aberta por Joaquim Almeida, do Comité Central do PCP, que se apresentou aos presentes como mandatário concelhio, lembrou os benefícios para Espinho que a CDU poderá trazer através de uma boa votação e chamou para a mesa todos os cabeças de lista do Concelho, a saber:

Cabeças de lista da CDU concelho de Espinho * freguesia de Anta – Odete Silva; freguesia de Espinho – Ana Resende; freguesia de Guetim – Vítor Fial; freguesia de Paramos – Augusto Castro; freguesia de Silvalde – Eugénio Cordeiro; Assembleia Municipal – Jorge Carvalho; Câmara Municipal – Fausto Neves

 

freguesia de Anta – Odete Silva; freguesia de Espinho – Ana Resende; freguesia de Guetim – Vítor Fial; freguesia de Paramos – Augusto Castro; freguesia de Silvalde – Eugénio Cordeiro; Assembleia Municipal – Jorge Carvalho; Câmara Municipal – Fausto Neves.

 

Usou da palavra em seguida Fausto Neves que comparou a situação de desastre nacional que todos vivemos ao actual estado da Câmara de Espinho, também ela vítima da política do PSD e do PS, que numa trintena de anos, criaram num concelho desafogado, próspero, dinâmico e com área de jogo concessionada, uma dívida de quase 50 milhões de euros. “Como se pode chegar até aqui?” – perguntou Fausto Neves aos Espinhenses, sugerindo uma votação em força nas listas apresentadas, para que as cada vez mais desejadas e nostálgicas características da CDU – trabalho, honestidade e competência – sejam postas ao serviço do Concelho.

Encerrou a sessão Jorge Carvalho que assumiu ser a CDU a única oposição, quer nacional, quer local, uma vez que o PS funciona como banco de suplentes da equipa de futebol que está a jogar – o PSD – e entrará quando esta se cansar, “mas para continuar a chutar para o mesmo lado”.

Enumerou vários negócios escandalosos e lesivos do Concelho, uns feitos pelo PS, e outros, com outros protagonistas mas de mesmo resultado, pelo PSD. Lembrou a premência no voto na CDU, “voto de que nenhum eleitor se arrependeu até hoje”.


Para o topo