Comunicado da Comissão Concelhia de Espinho do Partido Comunista Português

Habitantes da praia de Paramos contra a implantação da “via Permeável de Acesso à Praia de Paramos”A Câmara Municipal de Espinho levou a efeito, no dia 6 de Fevereiro, ás 11 horas, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, uma Cerimónia de Assinatura do Protocolo, entre o Município de Espinho e o Exército no âmbito da implantação da futura “via Permeável de Acesso à Praia de Paramos”.

De acordo com o anunciado, nessa cerimónia iria ser também atribuída vá lá o diabo saber por quê, uma “Medalha da Defesa Nacional ao Presidente da Câmara de Espinho.

 Conforme divulgado, a cerimónia contaria com a presença de sua Ex.ª o Sr. Ministro da Defesa Nacional, Dr. Aguiar Branco, que ás 11h45 iria fazer uma visita ao local da “Futura Via Permeável de Acesso á Praia de Paramos”.

Tal visita não se verificou, porque não se quiseram confrontar com as centenas de pessoas, particularmente residentes na praia, que se concentraram no referido local, para exigir esclarecimentos e garantias do direito à passagem para as suas habitações, e para a praia.

Contra a implantação da “via Permeável de Acesso à Praia de Paramos”Não se conhecendo ainda o conteúdo do protocolo, o que parece claro, é que a Câmara, pretende construir à revelia do povo e da própria Junta, apesar desta ser proprietária de parte do terreno, uma estrada paralela à pista, até à praia de Silvalde, e fechar, o actual e secular, acesso dos moradores e dos paramenses à praia, para deixar a pista livre.

Para o Partido Comunista Português, esta é uma atitude inaceitável contra Paramos. Os moradores da praia e os cerca de 4.000 paramenses, não podem ser prejudicados desta maneira, em beneficio dos interesses do Aeroclube.

Por isso, o Partido Comunista Português, manifesta total disponibilidade, para ao lado dos paramenses, e da Junta de Freguesia de Paramos, lutar pelos seus legítimos direitos e interesses.

Comissão Concelhia de Espinho do Partido Comunista Português

Paramos, 6 de Fevereiro, de 2015.


Para o topo