Nota de Imprensa da Comissão Concelhia de Espinho do PCP

Recorrendo aos dados publicados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), verifica-se que o número de desempregados registados no Concelho de Espinho no mês de ABRIL de 2016, é de 2.692 (1408 mulheres e 1284 homens), menos 96 que no mês de Março.

Nestes 2.692 desempregados registados não estão considerados 262 “desempregados ocupados” que não contam como desempregados embora na realidade o sejam.

O número de desempregados registados representa 18,5% da população activa do Concelho contra 9,42 % no Distrito. Espinho é o quarto Concelho com mais desempregados registados dos 19 existentes no distrito, depois de Aveiro, da Feira e de Ovar.

As mulheres são as mais afectadas (52,3% dos desempregados registados no Concelho).

Os desempregados de longa duração são 59,7% dos desempregos registados no Concelho.

Os desempregados registados com idade inferior a 25 anos são 12,5%, com idade entre os 35 e os 54 anos são 46,7% e com 55 ou mais anos são 23,5%.

Insiste-se que estes dados, embora sejam por si só bastante graves, não reflectem contudo a realidade do desemprego no Concelho, uma vez que se referem apenas aos desempregados registados no IEFP. A situação real é infelizmente muito mais grave.

Neste quadro, a Comissão Concelhia de Espinho do PCP entende que é fundamental uma política que decididamente promova o investimento, que incentive o aumento da produção nacional, a sua diversificação e a sua afirmação em substituição da produção estrangeira.

Entende que Portugal precisa de romper com a política de direita e concretizar uma política patriótica e de esquerda, como aquela que o PCP continua a defender e não abdica de continuar a lutar pelo seu reconhecimento junto do nosso povo, como a grande solução para os problemas do País, e desde logo garantir emprego estável e com direitos.

Espinho, 09 de Junho de 2016.
A Comissão Concelhia de Espinho do
Partido Comunista Português


Para o topo