Estarreja

Como o PCP tem vindo a alertar ao longo dos últimos anos, o Hospital Visconde de Salreu (HVS) tem sofrido inúmeros ataques que colocam em causa a sua manutenção como Hospital. Com a diminuição de serviços e a demolição do bloco operatório com o intuito de criar uma nova unidade de cuidados paliativos, que se encontra ainda encerrada por não cumprir as exigências mínimas para pertencer à rede nacional, e com a falta de técnicos para assegurar a manutenção do serviço de internamento levanta- se, mais uma vez, a ameaça do seu possível encerramento.

Perante esta situação a deputada do PCP, Diana Ferreira, elaborou uma intervenção na Audição ao Ministro da Saúde na Assembleia da República dando ênfase à necessidade de se manter esta unidade em pleno funcionamento, uma vez que o HVS é um polo de grande importância para as suas populações e um apoio fundamental para a garantia de acesso aos cuidados de saúde consagrados na Constituição da República.

Ao longo dos últimos anos verificou-se um ataque generalizado ao Serviço Nacional de Saúde, sendo o concelho de Estarreja seriamente afectado através da perda de valências no Hospital Visconde de Salreu, bem como com o encerramento das extensões de saúde na freguesia de Fermelã e Canelas, limitando assim o acesso aos cuidados de saúde primários destas populações.

Embora as populações tenham manifestado o seu desagrado ao ter que se deslocar à Unidade de Saúde Familiar em Salreu, uma vez que não existem transportes públicos que assegurem as deslocações, que a maioria da população é envelhecida, agravando as dificuldades de mobilidade, e de verificarem que se encontram privadas de inúmeros serviços públicos que paulatinamente lhes têm sido vedados, fica agora claro o motivo para que nada se resolva, uma vez que já se tornou público aquilo que há muito nós prevíamos, a abertura de uma clinica privada em Fermelã.

Nota de imprensa da Comissão Concelhia de Estarreja do PCP

Na passada quarta-feira, dia 10, os deputados do PCP entregaram na Assembleia da República um conjunto de perguntas, dirigidas ao Ministro da Saúde sobre a situação actual do Hospital Visconde de Salreu (HVS), cujo documento está disponível aqui.

Para além da análise que consta no documento elaborado sobre as constantes perdas de valências do HVS e consequente diminuição da qualidade de acesso aos cuidados de saúde, não só dos habitantes do concelho de Estarreja, mas também dos concelhos limítrofes, foram levantadas algumas questões, das quais se destacam:

Comunicado da Comissão Concelhia de Estarreja do PCP

Hospital Visconde Salreu (esboço)

Na passada sexta-feira, e no âmbito da candidatura à Presidência da República de Edgar Silva, o candidato acompanhado pelo mandatário distrital, Francisco Gonçalves e o deputado do PCP ao Parlamento Europeu, Miguel Viegas, efectuaram uma visita ao Hospital Visconde de Salreu (HVS), onde tiveram a possibilidade de contactar com trabalhadores e utentes deste hospital sendo posteriormente recebidos pelo Administrador do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, Aurélio Rodrigues, com o qual visitaram as instalações hospitalares.

O PCP tem vindo ao longo dos anos a alertar para as ameaças que o Hospital Visconde de Salreu (HVS) tem vindo a sofrer, desde o encerramento do serviço de urgência, de inúmeras valências, ao desmantelar e encerrar do Bloco operatório, serviços estes que asseguraram à população de Estarreja e concelhos limítrofes acesso a cuidados médicos de qualidade e proximidade.

Nos últimos anos PS/PSD/CDS têm promovido uma verdadeira cruzada contra o Serviço Nacional de Saúde, a partir do Governo central. A nível local, embora se apregoe o contrário verifica-se que o Executivo Camarário nada tem feito em defesa dos seus munícipes, sendo cúmplice em todo este processo, aceitando passivamente tudo o que tem sido proposto, defraudando promessas eleitorais e legítimas expectativas da população.

Nota de Imprensa da Comissão Con​​​ce​lhia de Estarreja do PCP

A Assembleia Municipal extraordinária realizada ontem aprovou a Moção proposta conjuntamente por PCP e PS contra a Municipalização da Educação no concelho de Estarreja, onde se delibera:

  • A suspensão imediata deste processo;
  • Reafirmar a defesa da Escola Pública e democrática tal como consagra a Constituição da República;
  • Manifesta solidariedade para com os professores, pessoal não docente, pais e alunos perante mais um ataque à escola pública;
  • Rejeita esta proposta de contratos de delegação de competências.

Apesar da generalidade da comunidade educativa se demonstrar contra o processo, que resulta de orientações da CIRA e do Governo, o Executivo Camarário PSD/CDS tem insistido em levar a cabo diligências para concretizar um acordo com vista à municipalização da educação, nas costas da população e contra os interesses do concelho.

Comunicado da Comissão Concelhia de Estarreja

A Comissão Concelhia de Estarreja do PCP saúda a ação de luta que teve lugar na passada 3ª feira no nosso concelho. Tal protesto demonstrou que apesar do secretismo em que o Executivo Municipal e o Governo pretendem envolver este processo – para o apresentar às populações como um facto consumado – o povo de Estarreja resistirá à destruição da Escola Pública e às manobras de cariz verdadeiramente anti-democrático que a esse respeito se estão a desenvolver. Cumpre sublinhar neste momento que a primeira vez que o Presidente da CME falou em público sobre a matéria foi em resposta a uma pergunta feita pela bancada do PCP na última reunião da Assembleia Municipal, caso contrário, poderia estar tudo ainda completamente em segredo.

A forma errática como se iniciou o ano lectivo teve como único responsável, o Governo. É notória a política irresponsável e economicista seguida pelo executivo com as políticas anti-populares e de favorecimento dos grupos económicos e com os sucessivos cortes orçamentais impostos à Educação. O próximo ano prepara-se para não ser excepção, agravando-se ainda mais os problemas já conhecidos, colocando – se em causa a escola pública, indo contra os princípios básicos da Constituição da República de um Ensino Público de Qualidade, Universal e Gratuito.

Comunicado da Concelhia de Estarreja

A visita do Secretário de Estado ao Hospital Visconde de Salreu (HVS), constituiu uma operação de propaganda, que na verdade apenas serviu para comprovar o que há muito o PCP tem vindo a alerta, de que o HVS corre sérios riscos de fechar.

Os prometidos 900 mil euros, bem como da construção de um novo hospital são uma eterna promessa para ludibriar toda a população. Ao mesmo tempo a garantia de uma nova valência para o hospital, não é suficiente para manter a sustentabilidade do hospital levando assim à justificação de um futuro encerramento ou entrega a privados.


Para o topo