Na tarde de 26 de Março, uma delegação do PCP esteve junto das instalações da Tensai (concelho de Estarreja), promovendo uma acção de contacto com os trabalhadores da fábrica, no âmbito da acção nacional " Valorizar os trabalhadores, mais força ao PCP!".

Dos contactos feitos foi evidente a empatia dos trabalhadores desta empresa com as propostas do PCP, uma vez que, também eles, sentem duramente na pele a exploração e precariedade que decorrem das normas gravosas do Código do Trabalho e da ganância sem escrúpulos do patronato.

Esta empresa, que afirma no próprio site ser "a líder na produção na Península Ibérica" no sector do equipamento de frio, gabando-se de "exportar 90% do que produz", assenta os seus resultados positivos no agravamento das condições de vida de quem lá trabalha.

Os salários são, na sua maioria, o Salário Mínimo Nacional, com a agravante de impor um "banco de horas" esfarrapadamente justificado com a sazonalidade, e prevalecendo o vínculo precário num elevado número de trabalhadores, recorrendo a Tensai a uma empresa de aluguer de mão-de-obra para criar picos de produção. De resto, devido à elevada pressão das chefias intermédias para a intensificação dos ritmos de produção, ainda recentemente uma dezena de trabalhadores com vínculo efectivo cedeu à pressão e acabou por sair da fábrica.

Se é verdade que, por razões óbvias, o pico de vendas se atinge com a aproximação de tempo mais quente, não é menos verdade que todos os anos há Verão, pelo que é perfeitamente possível garantir produção a ritmos constantes todo o ano e, assim, evitar o recurso a estes esquemas que só geram desemprego e problemas pessoais, sociais e económicos aos trabalhadores.

No fundo, havendo vontade, trata-se apenas de garantir que há uma estratégia de produção que salvaguarde os postos de trabalho, sem prejuízo de que, em determinadas alturas do ano, se oscile no que toca a vendas e/ou distribuição do que é produzido.

Assim, o PCP apela aos trabalhadores que não desistam de lutar e se manifestem pelos vínculos, salários e direitos a que têm direito, quer junto da empresa, quer junto do Governo, para que se proceda às alterações necessárias e urgentes!


Estarreja, 27 de Março de 2018
A Comissão Concelhia de Estarreja do PCP

Para o topo