Mealhada

Comunicado da Comissão Concelhia da Mealhada do PCP

A comissão concelhia do PCP, na sua reunião de 27 de Maio de 2015, face às informações recolhidas no que se refere ao processo de delegação de competências, designadamente na área da educação, conhecido como “municipalização”, decidiu alertar a população, particularmente os pais e encarregados de educação, professores e pessoal não docente para os perigos que este processo encerra.

Desde logo, o PCP discorda em absoluto que a câmara municipal pretenda envolver o concelho da Mealhada num processo que se inclui no projeto de “reforma do Estado” com que o governo quer declinar responsabilidades que devem pertencer ao Estado central, neste caso a educação e o ensino. A educação e o ensino de qualidade devem ser projetos nacionais e não áreas sujeitas a lógicas concorrenciais entre municípios, a visões particulares de alguns intervenientes e a redes de poder e de interesses locais. Este é um caminho de que nem o país nem, em particular, a Mealhada ou outro qualquer concelho precisam e que serve para dar seguimento ao ataque às funções sociais do Estado que o governo PSD/CDS-PP tem no centro das suas opções políticas e ideológicas. Também em relação a isto, verifica-se a semelhança e lamentável convergência de objetivos entre aqueles partidos e o PS que tem maioria na câmara da Mealhada.

As próximas eleições autárquicas são uma oportunidade de dizer a este governo que não pode continuar com esta política promotora de injustiças, cortes nas pensões, desemprego e falência de empresas. A situação do País, de imposição do sofrimento ao Povo, tem responsáveis. O PSD e o CDS governam agora com os resultados dolorosos que estão à vista. O PS nos últimos anos foi responsável por dois governos. Depois de inúmeras malfeitorias negociou e assinou os compromissos que o actual governo diz estar a respeitar quando desfere ataques sobre ataques em cima dos portugueses.

Som do tempo de antena da CDU da Mealhada.

 

«...A minha casa é uma casa simples, sem luxos mas muito acolhedora (...) Gosto muito das minhas vizinhas, elas também gostam de mim, somos muito amigas, damo-nos muito bem».

Foi desta forma que Sofia Ferreira caraterizou a sua casa, as suas amigas e vizinhas quando, em 2009, no Luso, formulou um convite ao jovem casal de proprietários da casa onde viveu e foi presa em 1949 juntamente com Álvaro Cunhal e Militão Ribeiro, para que a visitassem quando fossem a Lisboa.

É da mesma forma que definimos este nosso novo espaço: simples, sem luxos mas muito acolhedor. Gostamos dos nossos vizinhos e damo-nos muito bem.

O espaço que hoje inauguramos será, estamos certos, uma mais-valia não só para a afirmação do partido, mas também para o incremento da nossa intervenção na ajuda aos nossos eleitos locais (cujo número duplicámos), aos trabalhadores e à população do concelho da Mealhada, contributo essencial para a resolução dos seus problemas e anseios.

É pois, com profunda emoção e entusiasmo que recebemos hoje o nosso camarada Jerónimo de Sousa, a quem damos as boas vindas, nesta inauguração oficial do Centro de Trabalho da Mealhada. Sendo o PCP um partido de trabalho coletivo e, por isso, contrário ao culto das individualidades, mesmo assim, é sempre inspirador privar de perto com o camarada secretário-geral do partido e deputado na A. R. e aprender com ele; é um balão de oxigénio importante e necessário para continuar o nosso trabalho.

Em nome da comissão concelhia da Mealhada do PCP, quero também dirigir uma saudação a todos os militantes, amigos e apoiantes do PCP, aos Srs. jornalistas, aos nossos vizinhos e restantes convidados, que aceitaram o convite e quiseram estar hoje aqui.

Em nome da comissão concelhia do PCP, obrigado por terem vindo!

Mealhada, 5 de Dezembro de 2013

APRESENTAÇÃO DOS CABEÇAS DE LISTA ÀS ASSEMBLEIAS DE FREGUESIA DO

CONCELHO DA MEALHADA

CDU

Trabalho, honestidade e competência!

São referências do que tem sido a intervenção da CDU no plano autárquico por todo o país. Hoje apresentamos nesta nossa sede de candidatura os cabeças de lista às assembleias de freguesia do concelho da Mealhada. E esse é o ponto mais importante do que aqui nos traz.

Trabalho, honestidade e competência serão lema de todos aqueles que, candidatando-se pela CDU, venham a exercer funções autárquicas após as eleições de dia 29 de Setembro.

Aqui serão dados a conhecer os cabeças de lista por Barcouço, Pampilhosa, Casal Comba, Vacariça, Luso e ainda pela agora chamada União das Freguesias da Mealhada, Ventosa do Bairro e Antes. Trabalho, honestidade e competência serão a postura destes candidatos e, por certo, de todos os outros que venham a ser eleitos.

A propósito da “união de freguesias”, uma pequena nota que é a da oposição, a da irrevogável discordância da CDU perante essa tramóia de aglutinação e liquidação de freguesias que também atingiu o nosso concelho. Não é demais lembrar que os responsáveis por isso foram o PS que negociou e assinou o pacto de agressão que apontava esse ataque ao poder local e o PSD e o CDS que, para além da subscrição do pacto, se encarregaram de, no governo e na Assembleia da República, concretizar a destruição de freguesias.

Uma garantia: a CDU e os seus eleitos prosseguirão a acção e a luta contra a liquidação de freguesias. Não damos por terminado um processo destes; assim queiram as populações, já que os partidos citados estão “entalados” com o problema e prefeririam, por certo, pôr uma pedra sobre o assunto.

A CDU ao apresentar os seus candidatos às autarquias não esquece a importância que as próximas eleições autárquicas vão ter também para a resolução dos problemas nacionais. Outros partidos com responsabilidade directa no que está a acontecer, vão, nestas eleições, tudo fazer para que as pessoas não os relacionem com a desgraça que criaram. Vão dizer muitas vezes que as eleições autárquicas são diferentes, nada têm a ver com as políticas que subjugam o país. Os candidatos desses partidos até vão dizer que não estão ligados a essas coisas! Que até discordam delas!!

Daqui dizemos: VOTAR NOS MESMOS É DEIXAR QUE TUDO CONTINUE NA MESMA. Votar nos partidos que nos conduziram até aqui é aceitar que tudo continue a ir de mal para pior. E nós, na CDU e nas forças que a compõem, dizemos que é urgente dar a volta a isto! É também por isto e de olhos postos no futuro que os nossos candidatos proclamam que, também na Mealhada, no nosso concelho, é tempo de CONFIANÇA NA CDU.

Àqueles que fazem de conta - ou não o percebem - perguntamos se isto não anda tudo ligado!

- Perguntamos se o desemprego que atinge tantas famílias do concelho não é, em decisiva medida, provocado pelas políticas dos partidos que têm estado no governo, neste e nos anteriores.

- Perguntamos se podemos esquecer isso, premiando com o voto nas autárquicas os partidos cujas políticas levam a que os nossos jovens também se vejam na contingência da emigração. (Ai não me venham dizer que nas autárquicas o que contam são as pessoas, como se os partidos que as apoiam nas suas candidaturas e que elas apoiam na sua acção política nada contassem. Como se esses partidos não tivessem interesse em ganhar freguesias e câmaras…)

- Perguntamos se não temos de fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para contrariar as políticas que empobrecem as famílias que vivem ou trabalham nas nossas freguesias e que, por arrasto, liquidam negócios, asfixiam actividades, definham a nossa economia.

- Perguntamos se as dificuldades que enfrentam as empresas do concelho e as famílias que delas dependem, não decorrem da acção dos partidos que gostam de auto-intitular-se do arco do poder. Os aumentos da carga fiscal, a diminuição do poder de compra das famílias, não estão a provocar falências e dificuldades no concelho, da restauração, à hotelaria, das termas às nossas unidades industriais, oficinas, imprensa local ou outras?!

- Perguntamos se a redução de investimentos no concelho da Mealhada não anda ligada ao que esses partidos têm feito, desde a diminuição de verbas em PIDDAC, aos sucessivos cortes nos orçamentos autárquicos ou até ao encerramento e abandono de infraestruturas como a do ramal ferroviário Pampilhosa-Figueira.

- Perguntamos se o ataque à saúde, à escola pública, aos serviços públicos em geral, não são problemas sobre os quais temos de intervir no plano autárquico, desde logo através do voto, penalizando os responsáveis pela desgraça que tem sido feita. Perguntamos, por exemplo, se o recente encerramento de postos dos CTT, retirando condições de vida às nossas populações, criando dificuldades e promovendo o desemprego não deve fazer parte das preocupações, da acção e da luta de todos os que se candidatam dizendo querer defender o concelho e as populações.

A candidatura da CDU assume com clareza que essas coisas andam todas ligadas e que, num quadro em que o presidente da República tudo faz para que prossigam as políticas de que ele gosta mas que martirizam o país, as próximas eleições autárquicas assumem uma reforçada importância: a da penalização dos partidos que estão e têm estado no governo. É uma oportunidade para empurrar essa gente para fora do governo e afirmar a exigência de que não queremos mais do mesmo. Confiança na CDU é o que a inteligência dos que sofrem com o declínio imposto ao país e aos portugueses devem exercer.

A CDU é uma coligação. Nas nossas listas temos militantes do PCP, temos militantes do PEV e temos muitos independentes que deram já esse sinal de confiança na CDU e que eu saúdo de uma forma muito especial.

Mas, há que dizer, o projecto autárquico da CDU – Trabalho, Honestidade, Competência – não se esgota na análise e na acção contra o que são, hoje, as lamentáveis políticas dos partidos do tal arco, isto é, PSD, CDS e PS.

Sublinhando que tudo anda ligado, não nos distraímos de problemas e de anseios locais. E por isso temos discussão e propostas sobre as condições e qualidade de vida na Mealhada e nas suas freguesias; sobre os transportes; sobre a habitação; sobre os recursos naturais; sobre a actividade económica; sobre a protecção civil; sobre acessibilidades; sobre a economia; sobre a agricultura no concelho…

E aqui é muito mas mesmo muito importante a composição das listas em cada freguesia. Gente conhecedora das suas terras, das suas gentes. Gente que sabe o que está a fazer falta e que percebe o muito que ainda pode ser feito em cada uma. É assim, se me permitem, que eu descrevo os cabeças de lista que a CDU aqui apresenta. São gente assim!

São gente capaz que vai estar acompanhada por outros candidatos também capazes. É nessas listas, do primeiro dos efectivos ao último dos suplentes, que sustentaremos um trabalho ambicioso de defesa das populações e dos seus interesses em Barcouço, na Pampilhosa, em Casal Comba, na Vacariça, no Luso, na Mealhada, em Antes ou em Ventosa do Bairro. É daí que nasce também o trabalho competente que desenvolveremos ao nível concelhio, na Câmara Municipal e na Assembleia Municipal.

Uma acção de defesa das populações com uma ideia interiorizada: TRABALHO, HONESTIDADE E COMPETÊNCIA.

Com estes candidatos, estamos em francas condições de apelar aos eleitores na Mealhada: CONFIANÇA NA CDU!

É tempo de votar diferente para construirmos um presente e um futuro melhores.

JL.25.07.2013

Isabel Lemos

Enquanto militante do partido e eleita pela CDU para a AMM, considerou a Comissão Concelhia do PCP que eu deveria deixar aqui um depoimento e saudação. Aqui estou.

Os tempos são difíceis e negros para o povo português. Aqui como em todo o país, sofrem-se as arbitrariedades, os saques e sente-se a desesperança. Os comunistas não podem deixar que a desesperança ocupe os portugueses que sofrem com a dureza das medidas de austeridade, com o desemprego e a emigração. Sofrem com os sacrifícios que fazem para pagar dívidas que não entendem e muito menos os juros elevadíssimos, que servem para sustentar os interesses do capital internacional, sem rosto, mas que nada tem de fantasma. Que sofrem com os cortes nas reformas que servem para encher institutos, observatórios, PPP. Que sofrem com os cortes nos salários, sofrem com os cortes no SNS, e sobretudo com a transferência de dinheiro público para esquemas obscuros de um serviço de saúde privado que nasce paralelo, injusto e se agiganta. Sofrem com os cortes na educação e mais as transferências de milhões de euros de impostos para o ensino privado. Que sofrem com a destruição da economia nacional, e o enriquecimento das grandes empresas que têm vivido protegidas pelo estado. Na verdade dói que a justiça e o governo continuem a não punir os saqueadores do BPN, a não lhes tirar o dinheiro que é de todos, e ainda a oferecem-lhes negócios pagos pelos próprios portugueses que vão empobrecendo dia após dia.

Por tudo isto a luta cada vez é mais necessária e importante. Cabe ao PCP a vanguarda dessa luta e por isso é necessário e importante que o partido esteja unido e organizado. É importante e necessário que as organizações locais tenham consciência da grande responsabilidade que lhes cabe. Convém então aqui lembrar que, muito em breve, se iniciarão os trabalhos preparatórios da IX Assembleia da Organização de Aveiro. É necessário e importante, dinamizar, participar, refletir. Em tempos como os que atravessamos, em que o ataque aos trabalhadores, aos seus direitos e até à sua dignidade, cresce e se aprofunda, assumem particular importância a informação e organização. A existência do Centro de Trabalho da Mealhada é prova disso e incentivo às tarefas importantes e necessárias de apoio e crescimento do partido no concelho, do reforço da atividade nesse sentido. É necessário e importante que nos sintamos cada vez mais comunistas.

Como tem vindo a ser evidente, ou talvez nem tanto, dado que nem sempre os órgãos de comunicação social mostram as acções que se vão organizando e desenvolvendo, preferindo dar voz a associações recentemente aparecidas e cuja consistência é duvidosa, mas, dizia eu, os trabalhadores não têm ficado parados, conscientes que, quanto mais silenciosos e invisíveis forem, melhor serão servidos os interesses do grande capital. Neste Outono quente pleno de lutas e negação de pontes, as iniciativas têm sido muitas, tantas que por vezes nos parece que afinal a semana tem mais de sete dias e os dias mais de 24h... Recordemos as ações das comissões de utentes dos vários serviços públicos, dos trabalhadores dos transportes, das comunicações, das autarquias locais, dos enfermeiros, dos professores, das polícias,...

Ainda bem recentemente, a 26 de Novembro, decorreu uma importante jornada que mostrou bem a angústia e a revolta dos portugueses. E já outra se aproxima a desenvolver-se na semana de luta decidida pela CGTP, de 16 a 20 deste mês. Este é um concelho de uma espécie de "agulha", usando a terminologia do contexto ferroviário, tão presente neste concelho, entre dois distritos, e os comunistas estarão onde, por razões de organização profissional e sindical, tiverem que estar, nos locais de trabalho, nas várias iniciativas e na rua, na rua, seja no dia 19, em Coimbra, ou no dia 20, em Aveiro. Os trabalhadores comunistas só podem estar presentes e darem testemunho da sua convicção e força. Não podem consentir que, apesar das muitas razões, se instale o baixar de braços, a desesperança. Cabe aos comunistas organizar a luta e, parafraseando e abusando das belas palavras de Manuel da Fonseca, escrever a "revolta com tinta de sol na noite de angústia que pesa no mundo" e ser "um farol erguido no alto de um promontório", que envie a luz "que toca de esperança o coração dos homens de todas as latitudes".

Aqui tentamos ser comunistas assim. É esta a nossa forte convicção e é com ela que saudamos e agradecemos a presença do camarada Jerónimo de Sousa.

Maria Isabel Lemos

Mealhada, 5 de Dezembro de 2013

No concelho da Mealhada foram anunciados, no dia 25, pelo mandatário concelhio, Eng. Júlio Costa, os primeiros candidatos da CDU aos órgãos municipais e de freguesia no concelho da Mealhada. No decurso desta sessão que  decorreu no CT da CDU na Mealhada usou da palavra João Louceiro, cuja intervenção está publicada neste sítio.

Recorda-se que os primeiros candidatos à Câmara Municipal e Assembleia municipal, já tinham sido anunciados no dia 25 de Abril, no convívio da CDU que se realizou na Pampilhosa. São eles:

João Louceiro – 1º candidato à Câmara Municipal

e Isabel Lemos e António Neves – primeiros candidatos à Assembleia Municipal

os restantes 1ºs candidatos aos órgãos de freguesia são:

Assembleia de Freguesia da União de freguesias de Mealhada, Antes e Ventosa do Bairro - António Breda,71 anos, actual eleito da CDU na Assembleia Municipal;

Assembleia de Freguesia da Pampilhosa – Carlos Cristina, 45 anos, actual eleito da CDU na Assembleia de Freguesia da Pampilhosa;

Assembleia de Freguesia da Vacariça – Henrique Batista, 51 anos;

Assembleia de Freguesia do Luso – José Aguiar, 64 anos;

Assembleia de Freguesia de Casal Comba – Marlene Lousado, 30 anos;

Assembleia de Freguesia de Barcouço – José Rama, 62 anos, actual eleito da CDU na Assembleia de freguesia do Barcouço.

A candidatura da CDU esteve em acções de contacto com as populações e distribuição de documentos nas áreas de Antes e de Ventosa do Bairro, nos dias 18 e 19.

Os candidatos da CDU sublinharam que esta força sempre se opôs à liquidação de freguesias que, no nosso concelho, atingiu Antes e Ventosa do Bairro. No plano nacional, a oposição da CDU é bem conhecida mas é oportuno lembrar que os seus eleitos na Assembleia Municipal, no mandato que vai cessar, foram decisivos no suscitar da discussão da matéria e na aprovação de posições que espelham, na Mealhada, a rejeição da extinção de freguesias.

João Louceiro no uso da palavraA CDU apresentou, no dia 25 de Abril, os primeiros candidatos aos órgãos autárquicos da Mealhada. Num convívio com largas dezenas de apoiantes, António Neves, eleito na Assembleia Municipal, apresentou o primeiro candidato CDU à Câmara Municipal da Mealhada, o professor João Louceiro, e a primeira candidata à Assembleia Municipal, Isabel Lemos, professora aposentada.

Durante a iniciativa foi valorizado o trabalho dos eleitos da CDU, quer na Assembleia Municipal quer nas Assembleias de freguesia, e a importância do voto na CDU, a força que faz a diferença.

Respondendo ao convite feito pela Sociedade das Águas do Luso, a candidatura da CDU às eleições autárquicas no concelho da Mealhada, visitou no dia 18, a unidade de engarrafamento localizada na Vacariça. A delegação foi composta pelos cabeças de lista à Câmara Municipal, à Assembleia Municipal, à Assembleia de Freguesia do Luso e por um dos membros da lista à freguesia da Vacariça.

A CDU pôde inteirar-se de diferentes aspectos da actividade daquela unidade, registando o investimento e a qualidade dos espaços e processos que foram amavelmente descritos por elementos do corpo técnico da SAL.

Em notas deixadas no final da visita, e face à avançada automatização do enchimento, a CDU lembrou que, infelizmente, esses avanços em vez de se traduzirem, regra geral e como seria desejável, em melhorias de qualidade de vida dos trabalhadores e das populações, têm resultado na extinção de postos de trabalho e, portanto, em problemas económicos e sociais muito complexos. Não tem de ser assim mas isto acontece num sistema capitalista em que a lógica de lucro se sobrepõe aos legítimos interesses e anseios das pessoas. Constatando o avanço tecnológico da unidade, é sintomática a drástica redução de postos de trabalho que se tem verificado na SAL, mesmo nos últimos anos.

Realizou-se no passado sábado a 6ª Assembleia de Organização da Concelhia da Mealhada do PCP, na Junta de Freguesia da Mealhada, onde foi analisado a situação do país e, particularmente, no concelho da Mealhada e foram apontadas várias linhas de trabalho e de reforço do PCP.


Para o topo