A Gestamp Aveiro, empresa situada em Nogueira do Cravo concelho de Oliveira de Azeméis, é uma empresa de sucesso em franca expansão, a quem foi atribuído o prémio Best Plant Award 2016 pelo segundo ano consecutivo, pelo seu desempenho na qualidade do serviço que presta aos seus clientes.

Este prémio só foi possível graças à sua tecnologia e à excelente qualidade dos seus trabalhadores.

Actualmente encontra-se a aumentar as suas instalações com o apoio de fundos comunitários.

A Gestamp Aveiro pertence à multinacional Espanhola Gestamp que possui outras unidades em Vendas Novas e Vila Nova de Cerveira, que, só no primeiro semestre do ano, apresentou lucros de 116 milhões de euros, uma subida de quase de 25 milhões face ao mesmo período de 2016. Mas, este sucesso, tem sido conseguido graças à exploração dos seus trabalhadores.

Na Gestamp Aveiro, cada trabalhador dá diariamente ao patrão 30 minutos da sua vida, sem qualquer remuneração, estes 30 minutos que correspondem ao longo do ano a quase meio mês de trabalho não pago, de trabalho gratuito para o trabalhador contribuindo assim vergonhosamente para o seu aumento de lucros.

Esta situação que é ilegal, pois a duração de trabalho de cada turno não pode ultrapassar o período normal de trabalho que são 8 horas diárias e 40 horas semanais, foi possível com o acordo dos trabalhadores a pretexto de ser uma situação temporária, motivada pela recessão económica e de dificuldades da empresa.

Como se pode constatar pelos números apresentados, a saúde financeira da empresa está bem e recomenda-se no entanto, alguns dos trabalhadores que por algum tempo cumpriram o trabalho normal de trabalho, não dando os 30 minutos gratuitos à empresa, sofreram pressões que os levou a desistir do seu direito e a continuar a fazer este trabalho extra de 30 minutos diários gratuitos, quase meio mês gratuito anualmente, para manterem o seu posto de trabalho.

Este acréscimo de 30 minutos diários não acontece nas restantes unidades fabris existentes em Portugal em Vila Nova de Cerveira e Vendas Novas causando revolta entre os trabalhadores.

O PCP exige que a Gestamp Aveiro reponha a legalidade dos horários de trabalho.

 


Oliveira de Azeméis, 18 de dezembro de 2017
A Comissão Concelhia de Oliveira de Azeméis do PCP


Para o topo