O deputado do PCP no Parlamento Europeu Miguel Viegas visitou o Concelho de Oliveira de Azeméis para tomar nota das dificuldades sentidas pelos Oliveirenses com o aumento do custo da água. O PCP sempre denunciou que “Água privada, água mais cara” e a população Oliveirense tem vindo a sentir esse acréscimo no bolso.

Numa factura mensal de água pode-se verificar que a maior percentagem da factura nada tem a ver com o consumo de água propriamente dito, mas com as taxas que se pagam para saneamento e recursos hídricos que chegaram a triplicar agora em 2018.

A água e saneamento deveriam ser públicos e acessíveis a todos, sendo que actualmente há pessoas a pagar saneamento sem terem usufruto deste serviço daí se ter escolhido a Rua Bento Landureza, uma zona habitacional recente, que quem vê pensa que corre tudo bem, no entanto, apesar do saneamento passar na Rua, existem prédios que não têm a ligação feita à Rua. São duplamente penalizados pois pagam as taxas de saneamento à Indaqua e quando a fossa enche têm de recorrer aos Serviços Camarários, pagando novamente pelo serviço. Sendo que o tractor faz a descarga directamente numa tampa de saneamento em plena via publica, na zona da Abelheira.

É um problema de saúde pública sempre que as infraestruturas (fossas) existentes nas habitações têm fissuras contaminando as águas dos poços existentes nas habitações, onde a água é utilizada para consumo humano pois não têm nem água nem saneamento da rede publica.

É um problema de poluição sempre que as indústrias fazem descargas directamente para os rios do concelho. O caso mais flagrante é a poluição recorrente no rio Ul, visível no Parque Temático Molinologico, ex-libris da cidade, onde vários eventos ficaram assombrados com o nível de poluição. Aconteceu aquando da “Há Festa na Aldeia” em plena campanha eleitoral para as autárquicas tendo sido visitada pelas mais altas estâncias políticas nacionais. Mais recentemente aquando das visitas escolares antes do Natal, onde as crianças encontraram a água com um manto de espuma branca e “brincaram” que era neve.

É um problema ambiental sempre que os tratores que fazem a recolha das fossas nas habitações fazem a descarga directamente para os rios ou então para os campos e montes, causando um cheiro insuportável.

O contrato com a Indaqua, mostrou-se ruinoso para a população pois a Indaqua ficou com a parte boa e à autarquia cabe fazer as infraestruturas para que possa haver saneamento.

Com a campanha “Água privada, água mais cara”, o PCP procura mobilizar a população para a defesa da água como bem publico, que tem de ser acessível a todos e tem de ser preservado como aspecto essencial à vida.

Oliveira de Azeméis, 26 de Janeiro de 2018
A Comissão Concelhia de Oliveira de Azeméis do PCP


Para o topo