A Comissão Concelhia de Oliveira de Azeméis do PCP, reunida no passado dia 16 de Setembro, procedeu à análise da actual recessão económica e as suas consequências sociais, que estão a ser agravadas pelo programa de submissão que o PS, PSD e CDS assinaram com o FMI, UE e BCE, colocando em causa direitos que os trabalhadores e as populações conquistaram abnegadamente com o 25 de Abril e que agora os vêem diariamente a serem roubados.

A grave situação que o país atravessa, com reflexos naturais no concelho, vem colocando aos portugueses e oliveirenses enormes dificuldades em sobreviverem no dia-a-dia.

Está em curso uma ofensiva brutal contra os interesses e direitos de quem trabalha. É o aumento da exploração, da precariedade e do desemprego, pequenas e médias empresas de diversos sectores vão encerrando as suas portas, o aumento do custo de vida, no roubo do 13º mês, nas baixas reformas e pensões, no aumento das taxas do IVA, IMI, gás, electricidade, medicamentos, entre outros aumentos que vão elevando os números de famílias que vivem em extrema dificuldade.

São os ataques sistemáticos nos municípios com encerramento de serviços públicos, como é o caso do recente fecho dos serviços de correios (CTT) na freguesia de Nogueira do Cravo, e previsivelmente o mesmo acontecerá em São Roque e noutras localidades, o que traz maiores dificuldades e limitações no atendimento de uma melhor qualidade aos seus munícipes.

Por outro lado, continuam igualmente a encerrar valências nos serviços de saúde, e haver uma maior concentração de alunos em mega-agrupamentos do ensino básico e secundário, com falta de meios de pessoal docente e não docente.

No que respeita ao futuro da linha do Vale do Vouga, muito se prometeu mas ainda nada está definido, continuando as incertezas em relação ao investimento e remodelação deste meio de transporte usado diariamente pelas populações.

Não deixamos de manifestar o nosso total desacordo quanto à anunciada vontade do executivo da Câmara Municipal, recentemente aprovada na Assembleia Municipal, pelos actuais eleitos municipais PSD, CDS e PS, de entregar à privatização a concessão, exploração e gestão da rede da água e saneamento, com o objectivo da execução das infra-estruturas nesta área que faltam efectuar no concelho. Desde logo, é perceptível que com esta pretensa medida, quem sofrerá inevitavelmente as consequências serão as populações que naturalmente vão pagar taxas elevadíssimas por esta prestação de um serviço público, que é da responsabilidade do município, e que neste caso vai dar a ganhar milhões às entidades privadas que ficarão com este negócio.

É de conhecimento público que actualmente esta necessidade básica é insuficiente e deficiente na cobertura desta rede no concelho. Contudo é bom relembrar que o PCP sempre reivindicou como uma grande prioridade a cobertura por todo o concelho da rede da água e saneamento como fundamental para a qualidade de vida dos Oliveirenses. Porém o município não partilha do mesmo interesse do PCP e após 35 anos de Poder Local e gestão absoluta, o PSD foi dando prioridade nestes anos a outras obras de menor utilidade pública, não sabendo aproveitar os fundos financeiros existentes para a concretização desta e de outras obras de grande necessidade para toda a população.

O PCP, embora sem eleitos nos órgãos do Poder Local, não deixará de acompanhar através da sua Comissão Concelhia, o desenrolar deste processo e tomará as medidas mais adequadas na defesa da população oliveirense, como sempre o temos feito.

Aproveitamos ainda para nos congratularmos com a inauguração das instalações dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Azeméis, que após vários anos viu concretizado o seu objectivo de melhorar as suas instalações, com vista a dar uma melhor resposta às necessidades dos Oliveirenses.

É neste quadro que os comunistas não aceitam nem se resignam com esta situação. A luta que temos pela frente exige uma forte resposta por parte dos trabalhadores e das populações. Os comunistas de Oliveira de Azeméis estão empenhados em levar para a rua o esclarecimento e a dinamização das acções e protesto, e da necessidade da luta de todos aqueles que se sentem indignados e atingidos por estas políticas de direita. Neste sentido, apelamos a todos os Oliveirenses que participem activamente na jornada de luta promovida pela CGTP-IN, que se realiza no próximo dia 1 de Outubro no Porto, e que a sua presença nela seja a voz da indignação e protesto.

A Comissão Concelhia de Oliveira de Azeméis do PCP, considera que face à gravidade com que o país se vai confrontar exigirá uma maior afirmação, intervenção e reforço orgânico do PCP.

Neste sentido, não podemos deixar de destacar o grande êxito político e cultural que constituiu a realização da 35ª Festa do Avante!. Saudamos as dezenas de comunistas e simpatizantes Oliveirenses que participaram nesta festa que se assumiu como um importante elemento de confiança e mobilização para as luta que iremos travar.

Fundamental é dar continuidade à campanha de esclarecimento que o PCP está a dinamizar até final de Outubro “Rejeitar o programa de agressão! Lutar por um Portugal com Futuro” no contacto directo com os trabalhadores e população nas empresas, mercados e outros locais, na defesa da nossa soberania. A esta juntam-se outras iniciativas que o PCP irá realizar até final do ano e que mais tarde daremos destaque.

Sabemos que temos pela frente um duro e difícil combate. Mas temos a determinação e a confiança nos trabalhadores e outras camadas sociais da população da necessidade de dar combate a este programa de agressão e submissão com que o país está confrontado e abrir caminho para uma política patriótica e de esquerda.

Oliveira de Azeméis, 16 de Setembro de 2011

A Comissão Concelhia de Oliveira de Azeméis do PCP

Para o topo