Uma vez mais somos confrontados com notícias vindas a público de que o Governo do PSD e CDS, ao “abrigo das exigências” da Troika na sua senda persecutória contra o Serviço Nacional de Saúde, se prepara para encerrar o Serviço de Urgência Básica do Hospital S. Miguel.

A Comissão Concelhia de Oliveira de Azeméis do PCP não pode deixar de repudiar tal medida e manifesta a sua preocupação pelas consequências que atingirão as populações e os mais desfavorecidos se esta se concretizar, ficarão sem esta Urgência Hospitalar, de proximidade e qualidade, inaugurada em 2008 com pompa e mediatismo político.

Primeiro o encerramento da Maternidade, depois da Pediatria e outras valências que tão bons serviços prestaram à população, vem confirmar as apreensões que o PCP sempre vinha afirmando, de que o futuro do nosso Hospital estaria em risco.

Na altura, o PS, invocando argumentos pretensamente técnicos para o fecho do Bloco de Partos, mas visando, objectivamente, o corte nas despesas com a saúde dos portugueses com tal reorganização desta valência, o que pretendia era privatizar o Serviço Nacional de Saúde e fazer dele um negócio altamente lucrativo para o capital financeiro, porque o direito à Saúde das pessoas pouco lhes interessa. Aí está o caminho traçado que este Governo, do PSD e do CDS com a cumplicidade do PS, está a levar a cabo e subscrito no memorando da Troika que estes partidos assinaram em Maio de 2011 contra o Serviço Nacional de Saúde.

O PCP tem mantido, com coerência, a defesa do SNS e alertado as populações para que outras medidas de ataque ao direito dos cidadãos à saúde estariam a desenvolver-se. São disto exemplo o encerramento da extensão de saúde de Palmaz, Travanca, S. Martinho da Gândara e em outras freguesias. A realidade dos factos está à vista, infelizmente.

Muitas das vezes fomos apelidados de propagandistas e panfletários por determinadas forças políticas instaladas no Concelho por, em conjunto com a população, defendermos o Bloco da Maternidade quando, no terreno, o PSD/CDS/PS e responsáveis na altura pelo Hospital S. Miguel vinham argumentando que era preferível o encerramento deste serviço e que, em alternativa, a requalificação dos Serviços de Urgências era fundamental para a melhoria dos cuidados de saúde dos utentes do Concelho.

A verdade é que, na realidade, vamos assistindo ao esvaziamento de serviços, valências, médicos, enfermeiros ou do pessoal administrativo e agora somos confrontados com esta medida.

Para o PCP exige-se que qualquer Governo cumpra as suas obrigações Constitucionais na defesa justa e humana das populações no acesso à Saúde e integrado num verdadeiro Serviço Nacional de Saúde, Universal, Geral e Gratuito.

A Comissão Concelhia do PCP de Oliveira de Azeméis confia que, com determinação e confiança, é possível travar esta brutal ofensiva na área da saúde preconizada por este Governo, de direita, PSD e CDS.

É fundamental, como em tantas outras localidades, que a população venha para a rua defender um direito que é seu, pois é a saúde que nos estão a tirar!

Podem contar com o PCP.

Oliveira de Azeméis, 19 de Julho de 2012

A Comissão Concelhia de Oliveira de Azeméis

do Partido Comunista Português

Para o topo