Ontem, cerca de uma dezena de membros da concelhia de Ovar do PCP distribuíram o jornal da campanha "Mais direitos, mais futuro-Não à precariedade" aos trabalhadores da multi-nacional japonesa "Yasaki Saltano" em Ovar.

Uma empresa onde a contratação de trabalhadores precários através das empresas de trabalho temporário é uma prática recorrente e continuada, sempre em prejuízo desses trabalhadores que raramente conseguem um vinculo laboral efectivo, sujeitam-se a ritmos de trabalho desgastantes e intensivos que podem contribuir para o desenvolvimento de doenças profissionais.

Uma empresa que também aplica o chamado "banco de horas", prolongando, assim, a jornada diária de trabalho das 8 para as 12 horas e fins de semana, tirando partido do receio dos trabalhadores de que caso haja recusa em aceitar os termos de trabalho impostos, que a renovação do vinculo laboral precário não aconteça.

O PCP relembra: Não tem que ser assim, é necessário e possível o trabalho com direitos. A um posto de trabalho permanente deve corresponder um vínculo de trabalho efectivo.

O PCP defende uma política patriótica e de esquerda que tem como um dos aspectos essenciais a valorização do trabalho e dos trabalhadores. Com o PCP e a luta dos trabalhadores é possível concretizar uma visa melhor, mais direitos, mais futuro.


Aveiro
26 de Fevereiro 2016

Para o topo