Confiança na CDU Conferência de Imprensa da CDU em S João da Madeira * Jorge Cortez, Rita Mendes, Maria Alice Vieira

 

CDU Presta Contas

 

Mandato 2009/2013

É prática da CDU, a prestação de contas sobre o trabalho dos seus eleitos nos órgãos autárquicos. Este procedimento é tido ao longo do mandato mas feito globalmente, em jeito de balanço, no seu final.

Para a CDU este é um dever dos eleitos perante os munícipes, seus eleitores e uma consequência lógica da sua conceção de prática democrática. Assim sendo, este é o momento de balanço do mandato, é o tempo dos sanjoanenses avaliarem procedimentos, comportamentos e desempenhos das forças políticas que ao longo destes quase 4 anos dirigiram os destinos da autarquia local.

A CDU, com representação nas assembleias municipal e de freguesia, desenvolveu com empenho, competência e dedicação, um intenso trabalho em defesa dos interesses dos sanjoanenses e é justo evidenciá-lo, num momento em que os munícipes se preparam para escolher de novo os seus dirigentes locais.

O ato eleitoral que se aproxima é pretexto para os sanjoanenses refletirem sobre a cidade que têm e a cidade que querem ter, das prioridades que devem ser tidas em conta na gestão dos seus recursos, da forma como cada um dos órgãos deve intervir na sua concretização. È o tempo de preparação para que a tomada de decisão – eleição de novos autarcas - se faça tendo em conta projetos adequados e candidatos interessados e comprometidos apenas na defesa da causa pública. É um tempo para refletir, relacionar e naturalmente concluir que as políticas locais são fortemente condicionadas pelas centrais.

Da nossa intervenção na Assembleia Municipal, destacamos:

  • Tomamos posição relativamente à questão do transporte de doentes não urgentes. Vimos uma moção da CDU ser rejeitada na assembleia municipal, moção essa que condenava o corte nas verbas destinadas aos bombeiros para o transporte destes doentes.

  • Defendemos a revitalização da linha do Vale do Vouga, reclamando ao Governo o não encerramento da linha e a tomada de medidas que façam dela um importante meio de transporte regional.

  • Questionámos o executivo camarário relativamente ao elevado preço da água na cidade e defendemos a sua distribuição a preços justos e na exclusiva dependência da Câmara Municipal.

  • Tomamos posição relativamente à questão das rendas da habitação social em S. João da Madeira reclamando igualmente a garantia de uma habitação condigna a todos os sanjoanenses.

Manifestamo-nos contra a alienação do património, com a venda de casas que a empresa municipal pretende levar a cabo, e defendemos a criação de mais fogos de habitação social.

  • Reiteramos a necessidade de disponibilização de mais meios materiais e humanos para efetivo combate à pobreza e exclusão social.

  • Interviemos e defendemos um equilibrado planeamento da cidade, reclamando a revisão do PDM.

  • Defendemos a melhoria das condições dos passeios da cidade, exigindo permanentemente do executivo camarário a sua reparação. Elencamos na assembleia municipal diversas ruas da cidade a necessitar de obras inclusivamente a praça luís ribeiro.

  • Reiteramos na assembleia municipal a exigência de uma ligação rápida a Santa Maria da Feira, à autoestrada e à A29, como já tínhamos feito no mandato anterior, e questionámos o executivo relativamente aos procedimentos que tem tomado no sentido de reverter a situação de imposição nas de portagens nas SCUT.

  • Questionámos e reclamamos na assembleia municipal a tomada de medidas para revitalização do comércio tradicional na cidade, nomeadamente, no centro da cidade. O mesmo fizemos em relação às indústrias locais.

  • No plano ambiental, insistimos na despoluição do Rio Ul bem como da ribeira da Buciqueira. Defendemos uma efetiva averiguação da Câmara relativa à poluição atmosférica na cidade.

  • Manifestamos preocupação relativamente à redistribuição da rede escolar no concelho e denunciámos os atropelos á Carta Educativa Concelhia, nomeadamente a criação de mega agrupamentos. Defendemos, no âmbito da assembleia municipal a efetiva escola pública, gratuita e de qualidade para todos.

  • Defendemos desde a primeira hora o hospital de S. João da Madeira. Logo que tomámos posse na Assembleia Municipal, voltamos a propor a discussão desta questão e a criação de uma comissão de acompanhamento, que foi aprovada, bem como uma moção reclamando a tomada de medidas que permitissem ao Hospital retomar o desempenho das suas valências de forma a poder prestar um qualificado serviço à população.

Este é aliás um assunto que, convém referir, a CDU, força política que sempre lutou pela manutenção Serviço de Urgência e das valências do Hospital de S.J.Madeira reafirma, que continuará a bater-se pela sua reposição e a exortar todos os autarcas e forças políticas a empenharem-se nesta causa.

  • Alertamos a autarquia para a necessidade de intervenção na procura de soluções e na apresentação de moções de solidariedade com os trabalhadores da Califa.

Na Assembleia de Freguesia sublinhamos:

  • A posição da CDU em relação à transferência de competências para a Junta de Freguesia, respetivos meios humanos e financeiros, concretamente na área social.

  • A Declaração da CDU "Contra a Extinção de Freguesias", lida na Assembleia de 27 de Junho de 2012.

  • A solidariedade com empresas como a Califa.

  • A preocupação com o nível de desemprego no concelho e a degradação do nível de vida das pessoas.

  • A posição da CDU sobre o Hospital de S. João da Madeira.

Nos dois órgãos, apoiamos todas as iniciativas com interesse para a cidade e opusemo-nos àquilo que achámos ser nefasto. Participámos de forma crítica e empenhada nos assuntos aí debatidos introduzindo questões concretas do interesse da população!

As eleitas da CDU

S.J. Madeira, 6 de Maio de 2013

Para o topo