Urgência do Hospital

 

Um ano depois!

 

 

 

 

 

 

         Há um ano, na sequência de uma série de iniciativas tomadas contra o encerramento do serviço de urgência do nosso hospital, a organização local do PCP denunciava como golpe fatal - o acordo firmado entre o ex-ministro da saúde e o presidente da câmara.

 

         Sempre defendemos que concentrar os serviços de urgência, a prestar à população da região, no hospital da Feira era um erro evidente. Por isso lutámos contra a tentativa do governo de concretizar esta proposta. Por isso estivemos claramente contra o acordo!

 

         Hoje, passado um ano, está claro para todos que a população, de S. João da Madeira e a das localidades vizinhas, é muito pior servida no atendimento dos serviços de urgência hospitalar. Hoje, é também claro que a população da Feira também saiu prejudicada com esta medida!

        

          As consequências da medida administrativa - encerramento da urgência do nosso hospital - são demasiado sérias para a população da região. Perdeu-se em meses o que levou muitos anos a construir!

 

         Os cuidados de saúde de proximidade, com qualidade, tem sido para gerações de sanjoanenses uma meta a prosseguir. Não podem governações conjunturais desmantelar a construção colectiva de uma comunidade, que com o apoio do estado foi construindo a sua própria estrutura de atendimento hospitalar.

 

         Hoje, o PCP reclama do governo a correcção do erro que foi cometido e que prejudica gravemente os sanjoanenses e as populações das localidades vizinhas. O PCP apela aos sanjoanenses que voltem a empenhar-se colectivamente e de forma activa nesta exigência.

 

 

 

 

C. Concelhia de S. João da Madeira do PCP

Para o topo