Nota da imprensa da Comissão Concelhia de Aveiro do PCP

Assembleia reunida na Casa da Comunidade SustentávelTeve lugar na tarde do passado Sábado (18 Abril), na Casa da Comunidade Sustentável, a XII Assembleia de Organização Concelhia de Aveiro do PCP.

Este momento alto da vida do Partido em Aveiro, que contou com a presença de cinco dezenas de militantes, constituiu um importante espaço de debate sobre a situação nacional e local, bem como a necessária resposta a dar pela luta dos trabalhadores e da população e o reforço do PCP no plano orgânico e eleitoral.

Foram quase duas dezenas de intervenções onde ficou evidente que foram dados importantes passos na organização local entre este e a última assembleia, com destaque para o aprofundamento do trabalho junto de várias empresas e locais de trabalho e activação de algumas comissões de freguesia.

Na análise à situação política foi sublinhado o dramático agravamento da situação de vida dos aveirenses que resulta da política realizada por PSD e CDS, tanto no Governo como na Câmara, dando continuidade ao caminho feito pelo PS.

Aspecto da Mesa da XII Assembleia Concelhia de AveiroDa discussão resultou evidente que a construção de uma alternativa para o país é um imperativo nacional que deve unir todos os democratas e patriotas e, para tal, é necessário aprofundar a convergência de todos nas próximas jornadas de luta - designadamente nas comemorações do 25 de Abril e no 1º de Maio - e no voto na CDU nas próximas eleições Legislativas, o mais eficaz na luta contra o declínio nacional, por efectivas soluções para os problemas sentidos pelo povo português-

Esta foi uma Assembleia marcada por uma grande unidade e coesão, visível na unanimidade, quer na aprovação da Resolução Política, quer na eleição da nova Comissão Concelhia - com 19 membros de vários sectores e origens, na sua maioria operários e empregados.

No encerramento da Assembleia, Tiago Vieira - membro do Comité Central do PCP - saudou o êxito da Assembleia, valorizando os passos positivos que o Partido tem dado tanto no plano orgânico, como na sua intervenção política. O responsável da DORAV evidenciou como a situação do país é resultado de uma alternância em que PS, PSD e CDS repartem responsabilidades (dando os exemplos da deterioração do SNS e das tentativas de privatização da TAP) e manifestou o seu acordo com as linhas traçadas pelos militantes do concelho de Aveiro, exortando todos a participar em massa na Marcha Nacional "A força do povo", a 6 de Junho, como demonstração de confiança e determinação dos muitos milhares de portugueses que estão ao lado da CDU, força que hoje como sempre está pronta e disponível para assumir todas as responsabilidades que o voto popular lhe confira!

Para o topo