1. Num momento em que está prestes a findar a campanha eleitoral autárquica, a CDU, Coligação Democrática Unitária, está em condições de fazer um balanço muito positivo da sua intervenção e de reafirmar a sua confiança num bom resultado eleitoral.

O trabalho realizado, na construção das listas, na elaboração do programa eleitoral, nas dezenas de visitas institucionais e no contacto com milhares de Aveirenses confirmaram a justeza das nossas propostas e permitiram melhorá-las significativamente. A campanha confirmou uma larga simpatia e proximidade das populações à CDU, ao seu projecto e aos seus candidatos, que não deixará de se reflectir em mais votos e eleitos para a CDU.

2. Ao longo da campanha eleitoral, dezenas de activistas da CDU percorreram o Concelho e as suas freguesias e constataram as reais consequências das políticas de direita, de austeridade para os trabalhadores e as populações, que assolam o pais, em resultado da acção directa do Governo PSD-CDS, mas igualmente pela vigência do pacto de agressão assinado entre PS, PSD e CDS e a troika estrangeira do FMI, BCE e Comissão Europeia.

A pobreza e a injustiça social, o desemprego a destruição da economia, a indignação e a revolta são temas dominantes no contacto com as populações que não se conformam com uma política que sacrifica sempre os mesmos, mantendo e até alargando as benesses aos grandes grupos económicos. Neste sentido, o voto na CDU, no próximo domingo,  assume também um conteúdo e uma atitude de indignação e protesto face a este Governo e à política  de direita prosseguida, com a conivência do PS. É o voto na CDU que está em condições de contribuir decididamente para encurtar a vida a este governo e por fim à política de desastre nacional.

3. Na situação político-eleitoral no concelho de Aveiro domina uma bipolarização artificial entre forças partidárias que na prática propõem as mesmas políticas autárquicas. É sintomático recordar os debates eleitorais em que a disputa era saber quem despediu mais trabalhadores nos respectivos mandatos - o PS ou o PSD-CDS.

Nem a originalidade de dois irmãos desavindos, da mesma família política, concorrerem em listas diversas, veio trazer algo de novo ao debate. Élio Maia e Ribau Esteves, representam duas faces da mesma moeda. Ambos praticaram políticas de fachada e arruinaram os concelhos por onde passaram. E, no futuro, as suas desavenças de hoje, darão lugar à reconciliação e ao apoio conjunto a novas medidas negativas para Aveiro.

4. A verdadeira alternativa a anos e anos de políticas erradas e negativas em Aveiro não passa por mais do mesmo. Não passa pelo PSD-CDS, nem pelo PS, nem por Élio Maia. A alternativa de confiança para Aveiro passa pelo reforço da CDU, em votos e mandatos, em todos os órgãos autárquicos do Concelho, na Câmara, na Assembleia Municipal e nas Assembleias de Freguesia.

A CDU é e será sempre uma voz comprometida com os interesses mais genuínos da população, com a salvaguarda de serviços públicos de qualidade e com a defesa de quem trabalha. A CDU cumpre sempre a sua palavra e honra sempre o seu lema – Trabalho, Honestidade, Competência. O voto útil é na CDU. A CDU é a alternativa de confiança para Aveiro.

Comissão Coordenadora da CDU de Aveiro

Aveiro, 26 de Setembro de 2013

Para o topo