A Comissão Concelhia de Aveiro do Partido Comunista Português manifesta-se contra a instalação de um muro na Linha do Vouga, dias antes das últimas eleições autárquicas, que veda o acesso da população de Esgueira à Estação da CP e a toda essa zona da cidade. Facto agravado pelo conhecimento que as autoridades competentes têm do transtorno que esta situação tem causado às populações, sem que tenham ainda encontrado outra solução.

A partir do momento da abertura de ligação entre a Rua das Cardadeiras e a Avenida que desemboca na Estação, que coincidiu com a construção do referido muro e o encerramento daquela via, as populações da Rua Luciano Cordeiro, do Prédio Vouga Lar, da Rua S. João de Deus, da Urbanização de S. João de Deus e da Rua Bairro do Vouga, e ainda de toda aquela área da Freguesia de Esgueira, ficaram sem um importante acesso, pedonal e viário, não só à Estação da C.P, bem como ao resto da cidade.

Neste caso, é chocante verificar a falta de cuidado deste corte. No lado da Moveaveiro, os blocos não vedam completamente a passagem de peões, mantendo uma abertura perigosa, que pode, por si só, provocar quedas e danos pessoais graves. Por outro lado, há peões que já se deram ao trabalho de fazer caminho de atravessamento contornando o muro e improvisado ali uma rampa com terra e bocados de asfalto.

As medidas de prevenção e segurança no atravessamento de uma linha de comboio, naturalmente merecem preocupação e deverão ser respeitadas, contudo, atendendo às características da zona(a apenas dezenas de metros da paragem final da Linha do Vouga, onde as composições já circulam a muito baixa velocidade) a construção do dito muro poderia ter sido evitada com a instalação no local de outras medidas de sinalização e segurança que não impedissem a sua passagem por veículos e peões, nomeadamente, por exemplo, a sinalização de aproximação de linha férrea e a colocação de passagem de nível, como se fez poucas centenas de metros mais à frente na nova via. Evitando desse modo o transtorno causado e que tem obrigado a população da zona a apresentar sucessivos protestos não atendidos até agora.

O Partido Comunista Português está solidário com a população de Esgueira e irá levar este assunto aos órgãos autárquicos quer do Município quer da Freguesia.

Aveiro, 15 de Novembro de 2013

A Comissão Concelhia de Aveiro do PCP

Para o topo