No quadro da realização da última Assembleia da União de Freguesias da Glória e Vera-Cruz, Rosa Gadanho, eleita pelo PCP naquele órgão autárquico, colocou um conjunto de questões prementes que se arrastam há já algum tempo e começam a infernizar a vida de grande parte da população.

Acesso à Escola Básica Sá Barrocas, AveiroA primeira questão tem a ver com os acessos à Escola Básica das Barrocas. Não se compreende como é que não foi possível, ao longo destes anos, resolver um simples desnível de cerca de 50 cm, que obriga à realização de uma autêntica gincana para aceder àquele estabelecimento de ensino, criando, inclusivamente, uma situação de risco para todos os utentes. Neste sentido, o PCP entende que, com pouco investimento, poder-se-ia resolver o problema do desnível, permitindo um melhor aproveitamento de todo aquele espaço, com parque de estacionamento e passeios verdadeiramente condignos.

Para além desta questão, Rosa Gadanho ainda trouxe à colação a situação da EB1 da Vera-Cruz, cujas obras pararam sem que haja qualquer explicação para o facto, nem data prevista de conclusão. O acesso ao Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian, feito em condições de grande precariedade foi igualmente referido, tendo em conta as obras da ponte do Parque D. Pedro que se arrastam eliminando o parque de estacionamento que serve de apoio ao conservatório e para o qual não existem alternativas.

Ainda no decurso da Assembleia, cuja última sessão se realizou esta semana, a eleita pelo PCP alertou para a falta de iluminação pública, designadamente ao nível de um conjunto de passadeiras de peões, e criticou de forma incisiva a alteração na transferência de competências da Câmara para as freguesias. Tal representa mais um estrangulamento de meios e recursos colocados à disposição das juntas de freguesia a fim de poderem servir melhor as populações condicionando o serviço de proximidade inerente.

Aveiro, 14 de Janeiro de 2014

Comissão Concelhia de Aveiro

Para o topo