Os fiscais da Movepark, responsáveis pela fiscalização da área de estacionamento pago na cidade de Aveiro vivem momentos dramáticos, à semelhança dos restantes trabalhadores da Moveaveiro.

Fruto de uma completa desorientação política dos sucessivos executivos municipais que passaram pela Câmara de Aveiro, a verdade é que não existe uma verdadeira política de mobilidade que oriente e coordene as questões do trânsito, do estacionamento, dos transportes públicos e da promoção dos modos suaves de locomoção.

As políticas de estacionamento revelam de forma clarividente esta ausência de ideias e demonstram a incompetência de quem nunca soube gerir a coisa pública em benefício dos cidadãos. Foi a construção de parques de estacionamento sem critério, como é o caso da praça Marquês de Pombal, foi a criação de zonas de estacionamento em áreas residenciais, onde o investimento em parquímetros se revelou profundamente negativo para a empresa, e por fim a tentativa de concessão de múltiplos parques subterrâneos, já numa fase delirante do último mandato 2009-2013 da responsabilidade de PSD-CDS.

Neste tempo de incerteza, em que ainda ninguém sabe qual o futuro da Moveaveiro, chegam informações que apontam para o despedimento de todos os fiscais, ficando o seu trabalho a ser desempenhado pela polícia municipal. Perante esta situação algo insólita, em que mais uma vez são colocados em causa os postos de trabalho, muitos dos quais com quase dez anos de existência, Filipe Guerra, eleito do PCP, entregou de imediato um requerimento dirigido à Câmara colocando um conjunto de questões relativamente à empresa, designadamente sobre a confirmação da passagem do serviço para a polícia municipal, sobre a eventualidade de introduzir o serviço da Movepark dentro do perímetro municipal e finalmente, sobre a garantia do pagamento dos salários a partir do mês de abril.

Aveiro, fevereiro 2014

A Comissão Concelhia de Aveiro do PCP

Transcreve-se teor do requerimento:

Requerimento

Exmo. Senhor Presidente da Mesa da Assembleia Municipal de Aveiro,

Os fiscais da Movepark, responsáveis pela fiscalização da área de estacionamento pago na cidade de Aveiro vivem momentos dramáticos, à semelhança dos restantes trabalhadores da Moveaveiro.

Não basta estarem há anos a trabalhar em condições extremamente penosas, com salários miseráveis que nunca foram atualizados, chega agora mais um ano de incerteza relativamente ao futuro da empresa, e até ao pagamento dos salários após o mês de Março, que diz o presidente da Câmara não estar garantido.

Neste tempo de incerteza, chegam informações que apontam para o despedimento de todos os fiscais, ficando o seu trabalho a ser desempenhado pela polícia municipal.

Perante esta situação algo insólita, vimos, ao abrigo das disposições regimentais, solicitar a V. Exª que questione o Executivo da Câmara Municipal de Aveiro do seguinte:

1) Qual o ponto de situação relativamente à empresa Moveaveiro e em particular à Movepark e se se confirma a transferência do serviço dos fiscais para a polícia municipal?

2) Que estudo fez a Câmara sobre a viabilização da hipótese de reintroduzir este serviço fundamental no perímetro municipal, integrando o serviço da Movepark numa divisão interna da Câmara Municipal?

3) Que informação está este Executivo municipal em condições de dar relativamente ao pagamento de salários em 2014 aos fiscais da Movepark?

 

Para o topo