Boletim informativo da célula MoveAveiro do Partido Comunista Português

A VOZ DO
Setembro 2014

TRABALHADOR
Boletim informativo da célula MoveAveiro do Partido Comunista Português

Depois de anos de asfixia das autarquias
locais nos Governos PS, este Governo
PSD-PP em vez de contribuir para resolver
as dívidas e apertos das Câmaras e
Juntas de Freguesia, está a incentivá-las a
por fim às Empresas Municipais,
entregando a privados os serviços que até
aí eram públicos.
Assim centenas de trabalhadores estão a
ver o seu posto de trabalho extinto,
engrossando a grande lista de
desempregados do nosso País.
Entre outros, este foi o caso da
Moveaveiro que, de um dia para o outro,
viu as suas carreiras mais rentáveis
entregues a uma operadora privada, o que
resultou na dispensa de parte dos seus
funcionários, empurrados para trabalhar
no privado.
Estes trabalhadores são forçados a
trabalhar de sol a sol para que o seu
salário possa ser equiparado ao anterior,
uma vez que necessitavam de poder
continuar a pagar as suas despesas.

É através dessa exploração que a
operadora privada consegue efectuar o
serviço com menos trabalhadores. Ao
mesmo tempo, o encurtamento dos
itinerários, passando sobretudo pelas
estradas principais e não pelas interiores,
levou a um pior serviço para a população e
ao aumento dos lucros da operadora
privada.
Nesta altura, o PCP relembra que já houve
uma Rodoviária Nacional e carreiras da
CP que serviam as localidades. Desses
serviços já nem se ouve falar, mas o facto
é que um dia existiram e hoje não existem
mais, e assim poderá acontecer com a
Moveaveiro e por isso é fundamental que
os seus trabalhadores digam não à
privatização e não à concessão das linhas
e que o serviço dentro do concelho de
Aveiro seja totalmente assegurado por
uma Moveaveiro pública e de qualidade,
tanto para os trabalhadores, como para os
passageiros!

Partido Comunista Português
aveiro.pcp.pt | www.pcp.pt

CRISE? PARA QUÊ E PARA QUEM?

Em nome da economia do nosso país
e sempre sob a capa da Troika, o
governo liderado por Passos Coelho e
Paulo Portas (PSD e CDS) sacrificam
os mesmos de sempre, ou seja, os
trabalhadores, para beneficiar o
grande capital. Não é á toa que cada
dia que passa os trabalhadores vêem
os seus direitos mais básicos serem
sonegados: cortes nos salários,
crise que existe é a falta de valores daqueles
que nos governam, que entregam, de mão
beijada, um país inteiro ao grande capital e
esquecem-se das portuguesas e dos
portugueses. A situação do BES e o que se
passou é o exemplo mais recente de como
funciona o capitalismo: os grupos
económicos enchem-se com o dinheiro do
povo e quando se lhes descobre os crimes e
os“buracos” aí vai o Governo a correr encher-
lhes novamente os bolsos para
evitar a “crise”.
redução de dias de férias, aumento de
carga horária, menor indemnização em
caso de despedimento e mais
facilidades para as empresas poderem
despedir os seus funcionários são
exemplo desta situação.
Em nome da crise, dizem eles. Mas
qual crise? Mas quem é que provocou
a crise? Foram os trabalhadores? Será
que o dinheiro que existia antes da
crise não é o mesmo que existe
agora? Ou será que está nas mãos de
grandes grupos económicos que
ganham a vida a destruirem
sociedades por esse mundo fora? A
--

crise que existe é a falta de valores daqueles
que nos governam, que entregam, de mão
beijada, um país inteiro ao grande capital e
esquecem-se das portuguesas e dos
portugueses. A situação do BES e o que se
passou é o exemplo mais recente de como
funciona o capitalismo: os grupos
económicos enchem-se com o dinheiro do
povo e quando se lhes descobre os crimes e
os“buracos” aí vai o Governo a correr encher-
lhes novamente os bolsos para
evitar a “crise”.
Os direitos dos trabalhadores
estão a ser ameaçados de uma
forma víl e calculista. Caminha-
se para uma sociedade
selvagem, de miséria, sem ter as
mais básicas necessidades
asseguradas pelo Estado, o que
contraria a Constituição.
Onde está a justiça social
quando os ricos estão cada vez
mais ricos e os pobres cada vez mais
pobres? É por isso que é preciso lutar, nunca
baixar os braços para defender os nossos
direitos!
---

LUTAR: É PRECISO E VALE A PENA!

Perante todos os ataques de que somos
alvo, nós, o trabalhadores só temos uma
hipótese: lutar. Se lutarmos podemos
até não ganhar, mas se não lutarmos,
de certeza que perdemos tudo o que
temos.
Ao longo dos últimos anos, os
trabalhadores têm travado importantes
lutas pelos seus direitos e em várias
delas têm sido vitoriosos, mostrando
que lutar não é só necessário, mas
também é útil e vale a pena!
Entre os muitos exemplos que poderiam
dar-se há um que diz particularmente
respeito aos trabalhadores municipais
da Moveaveiro: a luta pelas 35 horas
semanais. Em Aveiro, a Câmara
Municipal decidiu impor aos
trabalhadores um horário de 40 horas
por semana, seguindo as instruções do
Governo.
No entanto, não é assim em todo o lado.
Aliás, na verdade, não é assim em
quase lado nenhum! É importante que
os trabalhadores saibam que em 80%
das autarquias locais os trabalhadores
conseguiram que as Câmaras
chegassem a acordo com o Sindicato
dos Trabalhadores da Administração
Local (STAL) para que horário se
mantivesse em 35 horas, demonstrando
que quando se luta pode mesmo
conseguir-se vencer.
----

Esta é uma prova que não há troika,
nem Presidente de Câmara, nem
Primeiro Ministro, que possa mais do
que os trabalhadores unidos e a lutar
com o seu sindicato. Por isso, o PCP
não tem dúvidas em apelar aos
trabalhadores da Moveaveiro que, em
coordenação com os trabalhadores da
autarquia do concelho, se reúnam e
discutam as melhores formas de levar a
cabo esta luta, sem medo de usar o
exemplo de quase todas as outras
autarquias do país para dar mais força à
sua luta.
As 35 horas semanais são uma
conquista fundamental, que garante
mais emprego e melhor qualidade de
vida, quer aos trabalhadores, quer à
população que usufrui dos serviços da
Câmara. Além do mais, a passagem de
35 para 40 horas semanais sem
aumento salarial constitui um roubo,
uma vez que pelo mesmo salário os
trabalhadores estão a trabalhar mais
uma hora por dia!
---

MARCA JÁ NA
26 SET
TUA AGENDA!
17h00
Lanche-convívio
dos trabalhadores da MoveAveiro
Centro de Trabalho do PCP em Aveiro

HÁ ALTERNATIVA:
OS VALORES DE ABRIL
 Partido aveiro.pcp.pt Comunista | www.pcp.pt
 Português
NO FUTURO DE PORTUGAL!
De todas as mentiras que nos tentam
impingir, a maior é a de que não há
alternativa e, por isso, temos de aceitar
todos os cortes e ataques nos nossos
direitos que nos queiram impor!
Com o PCP não é assim, temos a certeza
que, tal como no passado, com o 25 de
Abril, com a luta do povo português é
possível inverter este rumo de desastre e
colocar Portugal novamente num rumo de
progresso, justiça e desenvolvimento.
trabalho, melhorar a vida de cada um e
dinamizar a economia nacional, com um
mercado interno mais activo!
3) Apostar na produção nacional, criando
condições para que as pequenas e
médias empresas, os agricultores, os
pescadores e todos os que produzem em
Portugal não sejam sufocados pelos
impostos e custos dos factores de
produção altíssimos e preços de venda
abaixo do preço de produção!
A par da demissão do Governo e do
cumprimento pleno da Constituição
Portuguesa, seja qual for o Governo em
funções, defendemos que há 6 medidas
fundamentais para salvar o país:
1) Renegociar a dívida nos seus prazos,
juros e montantes – para não andarmos a
gastar mais em dívida que em Saúde ou
Educação e não andarmos a pagar algo
que não nos diz respeito (a dívida privada
que o Estado assumiu)!
4) Taxar as grandes fortunas e os lucros
milionários, invertendo a política fiscal que
rouba a quem tem menos e liberta quem
tem mais, aprovada por PSD, CDS e PS,
e fazendo o país mais justo e mais capaz
de fazer face às despesas que tem
5) Nacionalizar os sectores-chave da
economia (banca, transportes, energia,
etc.) para dotar Portugal de capacidade
de gerir a sua economia e pôr os serviços
públicos ao serviço do povo e do país!
2) Devolver tudo o que foi roubado nos
salários e pensões, fazendo justiça a
todos os que sem culpa alguma viram a
sua vida degradar-se nos últimos anos, e
valorizar salários e pensões de reforma –
para introduzir justiça na retribuição do
6) Romper todos os compromissos
internacionais que procuram amarrar
Portugal à exploração e à austeridade,
como os acordos com a troika e o Tratado
Orçamental!
FICHA DE CONTACTO
ADERE AO PCP!
Nome:____________________ Tlm:______________
Envia-nos os teus dados para:
Av Lourenço Peixinho 168 / 3800 - 161 Aveiro ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.


Para o topo