Na semana passada, Ribau Esteves veio em tom de mistério pré-eleitoral anunciar que haveria uma entidade privada disponível para investir 50 milhões de euros na construção de um novo hospital em Aveiro, mais concretamente em terrenos junto da estação de Aveiro, com quem o negócio estaria praticamente fechado.

Tais declarações merecem do PCP as seguintes considerações:

1) Num país democrático, em que a democracia não seja um mero formalismo, um presidente de câmara não pode jamais andar em público a semear a especulação e uma espécie de mistério, como quem fala de uma questão de natureza privada em que se revela o objecto, mas não se revelam as partes envolvidas, nem os moldes de tal operação;

2) Sem prejuízo de comentários ulteriores - quando o Sr Presidente da CMA e a sua maioria PSD/CDS estiverem disponíveis para deixar que as suas opções sejam escrutinadas pelos órgãos municipais democraticamente eleitos e pelas populações - o PCP tem as maiores reservas a que a CMA seja parte activa na criação de um hospital privado na cidade. Sendo certo que o Serviço Nacional de Saúde é uma responsabilidade do Estado central, consideramos completamente desajustado que sejam empregues quaisquer recursos públicos em unidades privadas de saúde, devendo todos os recursos públicos estar afectos às já existentes unidades públicas;

3) É evidente que o Executivo PSD/CDS não partilha da visão do PCP no que toca à defesa da saúde pública, dos seus utentes e trabalhadores, algo bem claro na sua conduta quando opta por acabar com a gratuitidade do estacionamento em torno do Hospital Infante D. Pedro, quando nada faz perante a sobrelotação de autocarros que passam pelo hospital (designadamente no fim do turno das 22:00), entre outros exemplos;

4) Face à total indisponibilidade do Presidente da CMA para responder a questões escritas dos eleitos municipais, violando o próprio regimento pelo qual se organiza a Assembleia Municipal, e dada a gravidade deste assunto de cariz eminentemente nacional, o PCP endereçou já ao Ministério da Saúde um pedido de mais esclarecimentos procurando saber mais detalhes sobre estas afirmações de Ribau Esteves.

5) Por último, a título de detalhe, resta-nos assinalar que é no mínimo irónico que o presidente da Câmara de Aveiro venha anunciar um "negócio" desta dimensão, dando-lhe o cariz nebuloso que acima se descreve e que a opinião pública conhece, apenas poucos dias depois de se ter vindo insurgir contra o facto de a autarquia a que preside ter sido considerada uma das 25 menos transparentes do País. Não fazendo desse "ranking" bitola para a nossa avaliação, não podemos deixar de registar que Ribau Esteves acaba por confirmar pela prática, aquilo que afirmava ser uma grande injustiça...

Aveiro, 20 de Fevereiro de 2017
A Comissão Concelhia de Aveiro do PCP

 

 

Para o topo