O Partido Comunista Português visitou esta semana a Quinta Ecológica da Moita (QEM), em Oliveirinha, a convite da ASPEA que dinamiza o espaço e as actividades de educação ambiental. A visita permitiu revelar algumas dificuldades das associações no que respeita a financiamento, resultando num empobrecimento e subaproveitamento de uma área tão rica e diversa do ponto de vista ambiental, educativo, cultural e paisagístico. A questão da mobilidade foi também trazida, pelos constrangimentos causados por ter sido removida a paragem junto à QEM (no complexo social da Santa Casa da Misericórdia de Aveiro) aquando da concessão do serviço púbico de transporte a privados, que como o PCP sempre denunciou, continua a resultar num negócio ruinoso para a população de Aveiro.

São necessárias políticas nacionais que consigam responder às necessidades ambientais, que permitam a monitorização da biodiversidade, o controlo de espécies invasoras e infestantes e que promovam uma verdadeira democratização do acesso à natureza e do seu usufruto, entre muitos outros aspectos. As autarquias têm também aqui um papel essencial, sendo que deveriam estar na vanguarda de políticas ambientais que valorizassem os recursos naturais do município, em colaboração com escolas e outras estruturas providenciando o apoio necessário à sua boa execução, o que continua a ser uma grave lacuna. O PCP continuará a acompanhar estas preocupações e a bater-se pela defesa do ambiente e do movimento associativo.

 

Para o topo