O PCP reuniu ontem com a direcção da Banda Amizade na sua sede, conhecendo o seu espaço, preocupações e dificuldades que sentiram durante o período de confinamento e após o estado de emergência.

O PCP partilha das preocupações transmitidas pela banda filarmónica mais antiga do concelho de Aveiro. A Banda é composta pela orquestra com cerca de 70 músicos, um maestro e a escola de música com cerca de 40 alunos juvenis. Durante este período a Banda investiu em novas partituras, garantiu os salários e o pagamento das despesas correntes, apesar da sua actividade ter sido reduzida a zero.

A vida da Banda Amizade sofreu constrangimentos no novo contexto sanitário, contudo, devido à resiliência e à sua histórica capacidade de reinvenção e adaptação, a Banda Amizade irá abrir o novo ano lectivo da sua escola de música em Setembro.

O PCP solidariza-se com as dificuldades sentidas pela Banda Amizade, reconhecendo o seu valor cultural e associativo inequívoco que presta aos aveirenses e ao País. Por conseguinte, o PCP não pode deixar de lamentar que ainda não haja resposta condigna às associações culturais que se candidataram ao programa de apoio às associações do concelho de Aveiro.

Uma resposta urgente é necessária a estas associações, que viram a sua actividade reduzida grandemente e com dificuldades acrescidas. Mesmo assim, as associações tentam sobreviver e prestar um serviço de qualidade à cultura de Aveiro e do País.


A Comissão Concelhia de Aveiro do PCP

Para o topo