A Transdev, anunciou recentemente aos representantes dos trabalhadores da Etac (empresa do grupo Transdev à qual pertence a AveiroBus) a intenção de recorrer à «suspensão dos contratos de trabalho» e a redução nos horários da maior parte dos seus trabalhadores. Uma medida que poderá afetar diretamente mais de 2 mil trabalhadores no universo de todas as empresas do grupo.

O grupo Transdev, tendo beneficiado dos apoios públicos, nomeadamente do regime de lay-off simplificado, suspendeu tudo onde poderia poupar dinheiro, fosse em bens materiais ou em pessoal, tudo e todos serviram para poupar e aproveitar ao máximo a ajuda do Governo, enquanto que, tal como é publicamente reconhecido, este grupo de empresas falhou, e continua a falhar, com compromissos com a população no mais básico dos seus direitos, o direito à mobilidade.

O anúncio da Transdev de «suspensão de contratos» é ainda mais escandaloso quando é notória a necessidade de reforço das carreiras de transporte de forma a garantir o respeito pela lotação máxima e assegurar as condições de segurança.

Por outro lado, não deixa de ser estranho que este anúncio surja numa altura em o Grupo Transdev criou já uma nova empresa, a «Expressos» e tudo indica que prepara a criação de outras novas empresas.

O PCP denuncia mais este abuso e atropelos de direitos e exige uma resposta firme do Governo e das autarquias onde o Grupo opera. Os trabalhadores e os utentes dos transportes públicos onde opera esta empresa, como é o caso do nosso distrito de Aveiro, devem unir-se e lutar para que esta situação seja revertida na sua totalidade.

O PCP desde sempre afirmou que o público é de todos e o privado só de alguns, e mesmo esses alguns só se der lucro para os accionistas.

O PCP considera necessária a reversão da concessão da ETAC/AveiroBus para gestão pública o quanto antes, tal como a análise total de todos os serviços feitos pela Transdev no distrito e consequente compensação dos compromissos assumidos e não cumpridos nos respetivos cadernos de encargos.

 


A Célula do PCP no Sector dos Transportes
Aveiro, 15 de Julho de 2020

 

Para o topo