Nota de Imprensa da Comissão Concelhia de Estarreja

Nos últimos anos os sucessivos governos têm levada a cabo uma política de cortes cegos e sucessivos, encerrando serviços públicos de apoio às populações. O concelho de Estarreja tem sentido os efeitos destas políticas, desde a anexação das freguesias, à perda de serviços de enfermagem e de médicos de família. Hoje a ameaça de encerramento de três escolas é mais um ataque à nossa população colocando mais uma vez em causa a qualidade de vida de todos, bem como a manutenção das freguesias do concelho como locais vivos e atrativos.

A população, perante a ameaça do encerramento das suas escolas, vendo a conivência por parte do Executivo Camarário com o Ministério da Educação, não se resignou, reagindo contra o encerramento das suas escolas, demonstrando a sua posição de unidade e de luta por um direito que é seu, e que ninguém o pode colocar em causa ou deixar de defender.

A luta das populações de Estarreja levou a que a C.M.E tenha alterado a sua posição e passado a defender que elas não encerrassem, bem como assumido o compromisso de rever a Carta Educativa nos próximos meses. Esta foi uma importante vitória, reveladora de que com a luta das populações é possível superar todos os obstáculos. É então necessário prosseguir a luta para que também o Governo retroceda nas suas intenções.

Hoje como sempre, o PCP está ao lado da luta das populações pelos seus direitos. Por isso, levámos à discussão na Assembleia Municipal uma moção contra o encerramento das escolas que foi aprovada por unanimidade e aclamação. Para tal, foi essencial a pressão popular, que obrigou os eleitos de PS, PSD e CDS a contradizerem o que os seus partidos fazem na Câmara Municipal, no Parlamento e no Governo.

A Concelhia de Estarreja do PCP

Estarreja, 8 de Julho de 2014

 

Para o topo