Manifestação contra o desmantelamento dos CTT

Os CTT devem ser o garante de um serviço público efectivamente ao serviço do país e das populações, ao serviço da economia nacional e do desenvolvimento, com uma gestão que vise o equilíbrio económico-financeiro e o investimento na melhoria da qualidade.

No entanto, a verdade é que, com a privatização dos CTT no horizonte, todos esses objectivos juntamente com a concentração de recursos nos sectores financeiros, com a aposta no Banco CTT, deram lugar à degradação e ao desmantelamento do serviço público, em nome dos milhões para os accionistas. Processo que culminou em 2014, com o governo PSD/CDS, com a privatização dos CTT.

Aliás, todo este processo é bem visível no nosso Concelho, onde vários postos de Correio foram encerrados, nomeadamente em Válega, Maceda, São Vicente de Pereira Jusã e, inclusive, no centro de Ovar, com vários trabalhadores despedidos, tendo como consequência uma clara deterioração do serviço prestado.

Hoje, no concelho de Ovar, fruto da falta de trabalhadores, os atrasos na entrega de correspondência e encomendas são constantes e as filas para o atendimento longas.

Por força da privatização e posteriormente da pandemia e do cerco sanitário em Ovar, o volume de correio aumentou exponencialmente, não obstante, os trabalhadores dos CTT foram os que mais sofreram a pressão para que a correspondência fosse entregue a tempo e a horas, pressionados em muitos casos a fazer duplos "giros" e até mesmo aos sábados, situação que até hoje se mantém.

No entanto os salários dos trabalhadores desceram em termos reais e a destruição de postos de trabalho prossegue.

Tal como o PCP já alertou é imperioso e urgente que o Estado readquira a capacidade e a responsabilidade pela gestão da empresa, para garantir a sua viabilidade futura e para que volte a ter condições para prestar um serviço que o país, as populações e os seus trabalhadores exigem.

Reverter a privatização dos CTT e retomar o seu controlo público é cada vez mais urgente de forma a impedir uma maior destruição da base material do serviço público postal que, caso contrário, obrigará a um investimento por parte do Estado de centenas de milhões de euros.

Ovar, 24 de Setembro de 2020
A Comissão Concelhia de Ovar do PCP

Para o topo