petiçao HOvarO aviso do concurso de "Apoio ao Investimento em equipamentos hospitalares de saúde", publicado pelo Programa Portugal 2020 no dia 13 de Abril, abre caminho às tão ansiadas e necessárias obras de renovação e ampliação do Bloco Operatório do Hospital de Ovar, disponibilizando um financiamento de até 3 milhões de euros. O PCP salienta que esta é uma antiga reivindicação da população, dos profissionais de saúde, e da administração, sendo uma peça estratégica na valorização do nosso Hospital. Trata-se de um equipamento que permitirá melhorar o serviço de assistência cirúrgica à população, permitindo maior qualidade, quantidade e segurança. Este equipamento é ainda uma garantia que o Hospital de Ovar se mantém vivo, actualizado e capaz de prestar cuidados de primeira linha e de excelência à população, não estando condenado ao papel de mero hospital de retaguarda, contrariando sucessivas tentativas do seu esvaziamento ou ataques à sua autonomia. Cabe recordar que, na petição promovida pela CDU em 2017, intitulada "Por um Hospital de Ovar de Proximidade, de Qualidade e com Autonomia", a questão do Bloco Operatório surgia à cabeça, defendendo os 7178 peticionários: » A inclusão, no Orçamento Geral do Estado para 2018, da verba necessária às obras no Bloco Operatório do Hospital Dr. Francisco Zagalo, de Ovar; » A manutenção da autonomia do Hospital Dr. Francisco Zagalo, não o integrando numa eventual ULS de Entre Douro e Vouga, e garantindo sempre o seu funcionamento em rede com as outras unidades do Serviço Nacional de Saúde; » A reabertura do Serviço de Urgência no Hospital de Ovar; » A integração dos profissionais com vínculo precário, muitos com décadas de serviço, nos quadros do Hospital. Estas posições foram, aliás, defendidas pelos primeiros peticionários (Maria Helena Silva e Miguel Jeri) junto dos deputados da Comissão Parlamentar de Saúde, a 14 de Março de 2018. A campanha em torno da petição, que incluiu ainda um debate público aberto à população, foram alguns exemplos da capacidade de mobilização da população em torno do seu Hospital. O PCP congratula-se com a disponibilização dos fundos, mas não pode deixar de lembrar que estas obras já deveriam estar concluídas há largos anos. E este atraso tem culpados: os governos PSD/CDS e do actualmente o governo PS que não acautelou, em sucessivos Orçamentos, as obras deste importante equipamento. Por esta razão o PCP sempre defendeu que, sem renunciar ao financiamento comunitário, estas obras não deveriam ficar reféns de fundos europeus se estes constituíssem um atraso significativo na obra.

Os comunistas continuarão a lutar, nas estruturas locais e nacionais, pela valorização do Hospital de Ovar, peça importante para que o Serviço Nacional de Saúde preste uma cada vez mais completa assistência e saúde aos vareiros. Lembram ainda que a valorização do Hospital tem de ir mais além, incluindo: Renovação e manutenção de outras infraestruturas hospitalares; Resolução do problema crónico de subfinanciamento a que está sujeito este Hospital e que constitui um atentado à sua viabilidade; Ampliação da carteira de serviços, incluindo no atendimento de urgência; Valorização salarial dos trabalhadores do SNS, reconhecendo o seu papel fundamental na prestação de cuidados de saúde à população.

Para o topo