O PCP, em comunicado distribuído à porta da empresa, saúda as trabalhadoras da Califa em S. João da Madeira e solidariza-se com a sua luta.
Transcreve-se texto do comunicado da Comissão Concelhia de S. João da Madeira.

CALIFA - PCP SAÚDA AS TRABALHADORAS EM LUTA!

Uma vez mais as trabalhadoras da Califa, empresa têxtil situada na zona industrial nº 1, em S. João da Madeira tiveram que parar a produção, para reclamar da empresa o pagamento do seu salário.

Já não lhes bastava não terem recebido ainda o subsídio de férias (apesar de terem trabalhado muitas horas para além do seu horário), sujeitam-se também a chegar ao fim do mês e não receber salário!

É que às trabalhadoras da Califa, não basta trabalharem muito e trabalharem bem. Elas têm também que lutar por aquilo que é seu: o seu salário, os seus direitos enquanto trabalhadoras! Elas cumprem, mas têm que lutar para fazer cumprir o outro lado, o patronato!

E é com coragem que lutam pelos seus direitos: fruto da sua luta, receberam o salário. Estão a lutar para receberem o subsídio que é seu mas não lho pagam.

E esta é uma prática com que as trabalhadoras se confrontam muitas vezes e há muito tempo! E o PCP continua a dizer que não pode ser: as trabalhadoras devem usufruir naturalmente daquilo a que têm direito e é fruto do trabalho que prestam à empresa - o seu salário e os subsídios respectivos!

Não é justo que para receberem o que já é seu por direito, tenham que recorrer muitas vezes a formas de luta que são mais adequadas a reivindicações por melhores condições salariais, por exemplo!

Tal como não é justo que os trabalhadores e largos sectores da população estejam confrontados com este pacto de agressão, de roubo e submissão, imposto pelo FMI e a UE, pelo PSD, CDS e PS, que se traduz em mais exploração e menos direitos, mais destruição da economia e injustiça social e menos independência do País.

A Comissão Concelhia de S. João da Madeira do PCP que ao longo dos anos tem acompanhando a luta das trabalhadoras pela viabilização da Califa, saúda uma vez mais a coragem, a determinação e a persistência com que continuam a bater-se pelos seus postos de trabalho, não abdicando dos seus direitos.

O PCP intervirá a todos os níveis e também, uma vez mais na Assembleia da República, em defesa das trabalhadoras da Califa, dos seus postos de trabalho e portanto em defesa dos seus direitos e interesses.

Viva a luta das trabalhadoras da Califa!

Viva a luta dos trabalhadores pela rejeição do pacto de agressão e por um Portugal com futuro!

Partido Comunista Português

Comissão Concelhia de S. João da Madeira

28 de Outubro de 2011

Para o topo