Santa Maria da Feira

Transcreve-se requerimento apresentado pelo Grupo Parlamentar do PCP na

Assembleia da Republica sobre a situação na empresa SOSAC de S. Paio de Oleiros.

Assunto: Encerramento ilegal da empresa SOSAC (S. Paio de Oleiros, distrito de Aveiro)

Destinatário: Min. da Economia e do Emprego

Ex. ma Sr.a Presidente da Assembleia da República

Os trabalhadores da empresa SOSAC, sita em S. Paio de Oleiros, concelho de Santa Maria da Feira, foram recentemente confrontados com a decisão ilegal da empresa de encerrar a sua actividade.

Logotipo CDUTodo o processo de extinção de freguesias decidido por PSD e CDS tem vindo a ser decidido e desenhado completamente à margem das populações, em mais uma submissão inaceitável ao Pacto de Agressão e à Troika.

No município feirense, sem ouvir as pessoas e sem ouvir os que, democraticamente eleitos no poder local, exigem que este processo seja discutido e, sobretudo, travado, como é o caso dos eleitos da CDU.

Comunicado do PCP, distribuído ontem aos trabalhadores em luta da ICL e ICAL de Lourosa, durante o Encontro que o deputado comunista Jorge Machado manteve com os mesmos e onde reiterou mais uma vez a solidariedade e o apoio deste Partido às suas justas reivindicações pelo pagamento dos salários em atraso, apelando à sua unidade como meio decisivo para alcançar os seus objectivos.

Deputado Jorge Machado manifesta solidarieadade para com  os trabalhadores da ICL e da ICAL

O Partido Comunista Português está de novo aqui presente, solidário com a luta dos trabalhadores da ICL e ICAL pelo pagamento dos salários em falta. Desta feita com a presença do deputado da Assembleia da Republica Jorge Machado, que ainda recentemente ali apresentou o requerimento, que já foi divulgado, sobre a situação inaceitável destas duas empresas.

Na verdade, não se entende nem se pode aceitar que, dispondo de um rico património e de todas as condições para laborar, a administração continue obstinada sem pagar a totalidade dos salários que são devidos aos trabalhadores que sempre deram o seu melhor, muitos deles há longos anos, para a existência e produção destas unidades industriais.

A CDU de Santa Maria da Feira publicou um folheto onde se denuncia a pretensão do PSD local de promover "a extinção de quinze freguesias" daquele concelho. Opondo-se a "este projecto do governo PSD/CDS-PP" a CDU reafirma "não aceita assumir o papel de carrasco de freguesias que têm toda a legitimidade e razão de ser".Folheto da CDU de Santa Maria da Feira contra a extinção de freguesias



PCP solidário com a luta dos corticeiros da ICL e da ICAL

Desde Sexta-feira, dia 6,  que os trabalhadores destas duas empresas corticeiras de Lourosa estão em greve, lutando pelos seus mais legítimos direitos: o pagamento dos salários em atraso, que lhes são devidos.

Depois de muitas promessas e compromissos não cumpridos por parte da entidade patronal, os operários corticeiros do grupo Joaquim Lima viram-se assim obrigados a encetar esta forma de luta, como último recurso para fazer valer os seus direitos.

O PCP saúda os dez trabalhadores da multinacional dinamarquesa de calçado Ecco’Let, em S. João de Ver que hoje voltam aos seus postos de trabalho. Seis anos e três meses depois de terem sido ilegalmente despedidos, estes 10 operários nunca desistiram de lutar pelos seus direitos.

Logotipo CDUFoi recentemente apresentado pelo Executivo Municipal o estudo prévio sobre a dita reforma administrativa em que se propõe a extinção de várias freguesias do nosso Concelho.

Desde o primeiro momento, a CDU deixou bem clara a sua oposição a este projecto do governo PSD/CDS-PP, e o presente estudo prévio em nada vem alterar a nossa posição: reafirmamos que a CDU não aceita assumir o papel de carrasco de freguesias que têm toda a legitimidade e razão de ser. A população não deu, em momento algum, mandato eleitoral para a liquidação de freguesias, além do que, como denunciámos repetidamente, o governo não foi, até ao momento, capaz de identificar qualquer benefício objectivo resultante deste incompreensível processo de descaracterização do mapa do poder local.

Taxas de publicidade, agora suspensas, motivaram surgimento de panos pretos de protesto ocultando publicidade de estabelecimentosFinalmente e depois de um longo e controverso processo, o Executivo Municipal viu-se obrigado, afim de cumprir a lei, a suspender as taxas de publicidade que estava a cobrar aos pequenos comerciantes e empresários do Concelho.

Na verdade, tal como a CDU demonstrara em comunicado recente, a cobrança das referidas taxas pela Câmara de Stª Mª da Feira, além de abusiva e manifestamente lesiva dos interesses do pequeno comércio e da actividade económica em geral, que sentem, pelo seu lado, cada vez mais dificuldades em sobreviver, fruto das políticas recessivas de sucessivos governos, agravadas pelo Pacto de Agressão das troikas nacionais e estrangeiras, e que carece ainda e acima de tudo de fundamento legal.

Logotipo CDUUma vez mais, o executivo municipal de Santa Maria da Feira vem atacar a já fragilizada condição financeira dos pequenos e médios comerciantes do concelho, tendo em vista obter receitas.

Desta vez, o pretexto são as taxas de publicidade: escudando-se no Regulamento Municipal, Faixas negras cobrem publicidade de estabelecimentosa Câmara PSD exigiu aos comerciantes que pagassem avultadas quantias pela afixação de publicidade, considerando, para efeitos da cobrança, mesmo os dispositivos que se encontram no interior da propriedade dos estabelecimentos comerciais. Como resultado, em diversos pontos do concelho muitos estabelecimentos comerciais parecem encontrar-se “de luto”, com plástico preto a cobrir as placas publicitárias contíguas ao estabelecimento. Além de constituir uma violação flagrante da lei, esta cobrança revela-se abusiva, pelo que a CDU não pode deixar de a denunciar, reafirmando, uma vez mais, o seu apoio solidário para com todos os pequenos e médios comerciantes, cuja actividade é essencial para a economia local.

Para o topo