Santa Maria da Feira

Contrariando a propaganda do Governo PSD/ CDS e da própria Associação Patronal, que se baseiam unicamente nos índices de exportação, são cada vez mais evidentes as dificuldades para as pequenas e médias empresas da indústria do calçado. Enfrentando uma forte recessão, agravada pelo pacto de agressão das Troikas, quebra do poder de compra e consequentemente do mercado interno, sem efectivas linhas de crédito e apoio, as unidades industriais deste sector, bem como de muitos outros, tendem a asfixiar e a fazer crescer ainda mais os números do desemprego no Concelho e no Distrito.

Opondo-se à Reforma Administrativa do Poder Local, proposta pelo Livro Verde, a intervenção de Filipe Moreira desmonta aspectos importantes da verdadeira natureza desta agressão anti-democrática às populações. As trapalhadas, abusos e manifesta incompetência no processo de transição da facturação de águas, saneamento e lixos, serviços da Câmara que estão a ser passados para a Indaqua, sujeitando munícipes a aflitivas confusões, são aqui, também, levantadas. O enquadramento da Linha do Vouga como serviço a valorizar no contexto municipal, o nebuloso realojamento provisório da PSP, bem como a atitude do Primeiro Ministro de apelidar de piegas os portugueses, são outras pertinentes questões suscitadas no Período antes da ordem do dia (PAOD).

Ver intervenção do PCP na Assembleia Municipal de Santa Maria da Feira: Intervenção no PAOD da CDU na Assembleia Municipal de 10-Fevereiro

Logotipo PCPA Comissão de Freguesia de S. Paio de Oleiros do PCP, reunida no passado sábado e analisando os aspectos mais relevantes da situação política nacional e local, entende tornar público o seguinte:

1.O actual rumo de afundamento do país tem que ser travado e invertido. A sucessão de medidas e orientações recessivas, primeiro do PS e agora do PSD e CDS, todos eles subscritores do Pacto de agressão com a troika estrangeira, mais não faz do que agravar esse quadro de declínio e degradação em todos os domínios: destruição do aparelho produtivo, desemprego galopante, cortes nos salários e pensões, aumento insuportável de preços e taxas, encerramento de serviços, etc., cujos efeitos atingem também fortemente a população oleirense, pondo assim em causa não só as nossas condições de vida e subsistência como o futuro e a soberania de Portugal.

Logotipo da CDU"Liberdade quer dizer responsabilidade. É por isso que tanta gente tem medo dela."(George Bernard Shaw)

A CDU de Fornos, torna público que a grande maioria dos moradores das ruas da Voltinha e travessa Armando Pinto de Assunção rejeitaram através de abaixo-assinados as propostas de alteração de postura de trânsito para as suas ruas que a junta de freguesia havia feito aprovar em assembleia de freguesia. Esta alteração que teve igualmente o voto favorável dos socialistas e o voto contra da CDU, não teve da parte do executivo da junta qualquer auscultação da população que ao tomar conhecimento através do eleito da CDU das alterações a levar a efeito se indignou e de forma massiva assinou a dita contestação. No que se reporta às ruas das escolas e calçada do Urreiro, a CDU faz a mea culpa e dá o “braço a torcer”, pois no caso votou favoravelmente entendendo que, dado se tratar de vias de pequena largura (ao contrário das anteriores) o melhor seria que o trânsito fosse de sentido único. Constatou posteriormente que não é essa a leitura que os residentes das ditas ruas fazem das alterações aprovadas para o local. As alterações de sentido de trânsito propostas pela junta incapacitariam em alguns casos os residentes usar as próprias garagens por impossibilidade de manobra. Entretanto esses moradores já manifestaram a sua oposição a tais alterações tendo manifestado esse descontentamento junto do executivo.

Aspecto do debate. Na mesa Jorge Machado e Nuno Vieira.A Comissão Concelhia de Stª Mª da Feira do PCP promoveu no passado Sábado, no seu Centro de Trabalho, uma Sessão Pública para debater um tema de flagrante actualidade e importância: a Legislação laboral.

Depois de saudar e agradecer a presença dos muitos participantes, Nuno Vieira, membro daquela estrutura, realçou a oportunidade da iniciativa, tanto mais que nos deparamos hoje com o mais feroz ataque e subversão das leis laborais desde o 25 de Abril.

De uma forma repetida e ilegal, tẽm sido destruídos e vandalizados nos últimos dias cartazes de propaganda política do PCP em vários concelhos do Distrito de Aveiro.

Com efeito, painéis publicitários de um espectáculo da Associação de Estudantes da Universidade de Aveiro foram abusiva e ostensivamente colados em estruturas de propaganda do nosso Partido, nomeadamente em diversos pontos do Concelho de Stª Mª da Feira, o que atenta não só contra o exercício das liberdades democráticas como contra o direito de propriedade.

Jornada de esclarecimento do PCPDecorre, neste momento, em todo o país uma jornada de propaganda e esclarecimento do PCP, apelando à rejeição do plano de agressão e submissão que PSD e CDS, com a activa colaboração do PS, querem impor aos trabalhadores e ao povo português. Na verdade, este programa, assinado por estes três Partidos com a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional, a não ser travado, condenará à pobreza milhões de portugueses e transformará Portugal numa colónia da Alemanha e de outras potências.

Para o topo