• Sáb. Set 18th, 2021

CDU: É imperativo repensar Gondezende na óptica dos seus habitantes

Set 7, 2021

Uma delegação da CDU, que incluiu Carlos Ramos e Miguel Jeri, candidatos à Câmara e Assembleia Municipal, e ainda José Carlos Reis, candidato à presidência de Junta de Freguesia de Esmoriz, estiveram mais uma vez em Gondezende em contacto com a população, ouvindo novamente os seus problemas. Esta localidade continua a ser, infelizmente, um parente pobre da freguesia de Esmoriz, não se vislumbrando qualquer intenção da Junta ou da Câmara para mudar esta realidade.


Mobilidade: Os problemas começam, desde logo, ao nível da mobilidade: não existe ligação regular ao centro ou praia de Esmoriz, apenas ao vizinho município de Espinho. Mas não basta a mobilidade ser de oferta muito reduzida, os passageiros são ainda presenteados com paragens cuja manutenção e limpeza é simplesmente inexistente, com ferrugem, sujidade e teias de aranha. Não parece existir plano de manutenção dos equipamentos, mas parece também não existir sequer bom senso na hora de pensar nos seus utilizadores: como por exemplo pensar se terá sido boa ideia colocar um contentor do lixo a escassos metros de uma paragem de autocarro.


Segurança rodoviária: A população é unânime em apontar a segurança da rua central como um dos principais problemas que urge corrigir, apesar de sucessivos alertas dados à Câmara. De facto, nesta estrada circulam frequentemente carros a velocidades excessivas, com perigos constantes especialmente para as crianças e idosos. Segundo a população, o semáforo limitador de velocidade não passará de um “espantalho” que em nada dissuade os condutores de acelerar, sendo mandatórias lombas de redução de velocidade e maior fiscalização por parte das autoridades policiais. Como se isto não fosse suficiente, os passeios em vários pontos da rua são mínimos (em alguns pontos mal cabe um pé), obrigando os transeuntes a circular pela estrada, o que aumenta ainda mais o risco para as pessoas, com vários relatos de atropelamentos iminentes.


Manutenção dos passeios: É urgente repensar a circulação pedonal nesta localidade. No caso da Rua da Escola, por exemplo, observa-se a inexistência total de passeios, apesar de se tratar de uma rua de sentido único e com espaço para a criação destas estruturas, salvaguardando a segurança e conforto dos habitantes. Sendo compreensível que nem sempre a dimensão e o edificado existente permitem as soluções ideais, o certo é que existem vários exemplos onde é possível dotar os arruamentos de mais segurança para os transeuntes, faltando apenas vontade política de o fazer. Além disso, parece evidente que a Junta não escala trabalhadores suficientes para a limpeza dos passeios, onde se vão acumulando, semana após semana, ervas daninhas a ponto de alguns animais da comunidade tomarem a iniciativa da sua remoção. 


Saneamento: Em pleno século XXI e num momento em que a falta de saneamento é já a excepção e não a regra na maior parte dos municípios do país, os habitantes de vários pontos da localidade (Rua do Tanque, Travessa Mestra Florentina) ainda não dispõem deste serviço básico. É imperativo garantir a cobertura integral do saneamento a toda a população, sem excepções.


Tanque Comunitário praticamente abandonado: Este tanque, localizado na Rua que lhe bebe o nome, é uma estrutura com utilização regular pela comunidade. A Junta deveria zelar pela sua conservação, pelo seu arranjo e manutenção, mas não o faz: é a própria população a proceder à limpeza regular desta estrutura. Além disso, esta encontra-se degradada, em cimento, por pintar, sem condutos de drenagem (a água é drenada para o chão, empoçando-o), necessitando rapidamente de obras para reparação e dotação de um mínimo de estética.


Envolvente da Igreja: Este é mais um exemplo da política do “construir e esquecer”, apanágio dos executivos PSD na Junta e na Câmara. Todo o percurso é desolador: primeiro, a calçada envolvente à Igreja apresenta troços onde está totalmente levantada, constituindo um perigo de queda para os frequentadores do edifício. Mais adiante, um pequeno banco de areia separa o percurso entre a rua e o campo, que não dispõe de qualquer caminho de acesso para as crianças. Chegadas ao campo, estas deparam-se com um piso onde a limpeza foi totalmente esquecida e onde parece haver mais areia do que na Praia do Furadouro. As redes estão quase totalmente destruídas, revelando o arame interior, que se apresenta à altura dos olhos. A CDU apela à correcção muito urgente destas anomalias.

A CDU propõe uma gestão alternativa, uma gestão onde as soluções urbanísticas sejam encontradas em diálogo com as populações, ouvindo as suas necessidades, as suas dinâmicas diárias, os seus problemas. Para a CDU, não basta construir estruturas, são precisos planos de manutenção e uma força política capaz de cumpri-los diligentemente. Com mais CDU, na freguesia e na Câmara Municipal, estaremos ainda em condições de exigir a conclusão total do saneamento para todos. 


Ovar, 31 de Agosto de 2021
A Comissão Coordenadora de Ovar da CDU