• Sáb. Nov 27th, 2021

CDU reúne com Associação Comercial do Distrito de Aveiro

Set 22, 2021

Miguel Viegas e Emidio Abrantes, candidatos da CDU à Câmara Municipal de Aveiro e à União das Freguesias de Glória e Vera Cruz, estiveram reunidos com a Associação Comercial do Distrito de Aveiro para apresentação do seu programa e ouvir os problemas dos comerciantes. A CDU apoia o comércio local e tradicional. Neste sentido, propõe o encerramentos das grandes superfícies aos domingos e feriados, garantindo assim descanso aos trabalhadores e uma maior procura junto do comércio local.

O setor comercial sofreu como nenhum outro os efeitos da pandemia que secou o turismo e confinou o país. A câmara poderia ter ido mais longe nos apoios à perda de rendimento, na medida em que muitos comerciantes não conseguiram preencher todos os requisitos de elegibilidade exigidos. Por outro lado, o programa de vales de compra não teve o alcance necessário por falta de organização da Câmara e criou alguns apertos de tesouraria, tendo em conta a morosidade nos pagamentos aos comerciantes. Finalmente, continua a faltar um verdadeiro programa de animação de rua realizado em conjunto com os lojistas e ouvindo as suas sugestões.

A CDU defende uma gestão democrática e participativa para o concelho de Aveiro. O processo de gentrificação em curso que afeta o comércio local, implica respostas que terão de ser encontradas em conjunto com os comerciantes. A CDU defende para a Beira Mar três medidas emblemáticas: reconversão de parte do AL para aluguer de média e longa duração (em diálogo com os agentes), colocação de pilares destinadas a permitir o acesso apenas a moradores e comerciantes em determinadas ruas, e finalmente, a criação de soluções de mobilidade que permitam aceder rapidamente ao centro da cidade (corredores para bicicletas,, amplos passeios e mini autocarros eléctricos a partir dos estacionamentos).

Miguel Viegas: “O turismo é muito importante para Aveiro e pode crescer. Mas queremos que cresça bem e em benefício de todos!”

Emidio Abrantes: “Recebemos queixas de vandalismo na Beira Mar. Isto decorre de um processo de desertificação que importa inverter.”